Rodrigo Maia assume como presidente em exercício durante viagem de Temer

Deputado do DEM é presidente da Câmara desde julho de 2016, quando Eduardo Cunha renunciou

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/06/2017 17:17 / atualizado em 19/06/2017 17:58

Minervino Junior/CB/D.A Press
 
 
Com a viagem de Michel Temer para a Rússia e Noruega, quem assume o governo provisoriamente é o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O aliado de Temer tem defendido no Congresso a aprovação das reformas trabalhista e da Previdência. Maia está no quinto mandato como deputado.
 
Como presidente em exercício, Maia pode sancionar ou vetar projetos – como já fez em outras ocasiões. No entanto, Temer pode desfazer as decisões quando voltar de sua temporada no exterior.
 
De acordo com a assessoria do Palácio do Planato, Maia deve começar a cumprir agenda oficial na terça-feira (20/6). Os compromissos serão divulgados na agenda do presidente em exercício, no site do Planalto. 
 

Maia é investigado na Lava-Jato e alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF). Em fevereiro deste ano, a Polícia Federal concluiu uma investigação sobre Maia e revelou indícios de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro. Segundo a PF, o parlamentar teria recebido propina de R$ 1 milhão da empreiteira OAS. O dinheiro teria sido repassado à campanha de César Maia, pai do deputado, em 2014.


Trajetória


Rodrigo Maia nasceu no Chile, em 1970, durante o exílio do pai. 

Entre 2007 e 2011, foi presidente do DEM, após a mudança de sigla do partido, que antes era o PFL (Partido da Frente Liberal).

Em 2012, foi candidato à prefeitura do Rio de Janeiro, mas teve apenas 2,94% dos votos válidos. 

Próximo de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, Eduardo Maia ganhou a relatoria do projeto da reforma política em 2015. Depois, a aliança foi rompida. 

Quando Eduardo Cunha renunciou à presidência da Casa, Rodrigo Maia venceu a eleição, disputada com Rogério Rosso (PSD-DF), com 285 votos. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.