Alckmin diz que é preciso aguardar para se posicionar sobre Temer e Aécio

Sobre o pedido de prisão contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), afastado do cargo e da presidência nacional do partido, o governador não quis se posicionar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/06/2017 12:19

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta terça-feira (20/6), que é preciso aguardar os próximos desdobramentos do inquérito contra o presidente Michel Temer (PSDB) para o PSDB ter um novo posicionamento sobre a permanência no governo.

Durante entrevista coletiva nesta manhã, questionado se as conclusões prévias da Polícia Federal indicando corrupção passiva por parte de Temer eram um fato novo para a decisão do partido permanecer ou desembarcar do governo, Alckmin sinalizou que ainda é preciso cautela. "Vamos aguardar os desdobramentos e o dia de hoje", disse o tucano. Na segunda-feira (19/6), Alckmin disse que o partido pode decidir sair do governo "a qualquer momento".

Sobre o pedido de prisão contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), afastado do cargo e da presidência nacional do partido, o governador não quis se posicionar. A primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julga hoje se mantém o afastamento e se aceita um pedido de prisão contra o senador. "Vamos aguardar o pronunciamento do STF", disse Alckmin. 

O governador não respondeu quando perguntado se o PSDB deveria dar apoio incondicional a Aécio em eventual votação do pedido de prisão no Senado.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.