Relatório da PF indica, 'com vigor', corrupção passiva por parte de Temer

O relatório preliminar foi divulgado pelo STF e também acusa Rodrigo Rocha Loures, Joesley Batista e Ricardo Saud

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/06/2017 19:13 / atualizado em 20/06/2017 19:25

Rogério Melo/PR

 

Um relatório preliminar elaborado pela Polícia Federal afirma haver evidências de que o presidente Michel Temer praticou corrupção passiva com seu ex-assessor especial Rodrigo Rocha Loures.

 

Segundo um trecho do documento, divulgado pelo Supremo Tribunal Federal nesta terça-feira (20/6), "resultam incólumes as evidências que emanam do conjunto informativo formado nestes autos, a indicar, com vigor, a prática de corrupção passiva".

 

Para a Polícia Federal, Temer "valeu-se da interposição" de Loures para aceitar "promessa de vantagem indevida, em razão da função. Loures é acusado da mesma prática.

 

Também são citados no relatório preliminar Joesley Batista, um dos donos da JBS, e Ricardo Saud, executivo do grupo que controla o frigorífico. Eles teriam cometido o crime de corrupção ativa.

 

Para a PF, a menção a "presidente" em conversas entre Loures e Saud deixam claro que as propinas negociadas beneficiariam o presidente da República.

 

Advogado critica

 

O advogado de Michel Temer, Antonio Claudio Mariz, afirmou que a defesa entende ser desnecessário "qualquer pronunciamento neste momento" em relação ao relatório. Apesar da negativa, Mariz criticou a conduta da PF à Agência Estado. "Não vamos responder, pois na verdade um relatório sobre investigações deveria ser apenas um relato das mesmas investigações e não uma peça acusatória. Autoridade policial não acusa, investiga", criticou.

Ontem, a PF pediu cinco dias ao ministro Edson Fachin para finalizar as investigações e apresentar o laudo da perícia das gravações de conversas feitas por Joesley Batista, um dos donos da JBS. A polícia aguarda esse resultado para concluir se houve também o crime de obstrução de Justiça.

 

Após a conclusão do inquérito, caberá a Janot decidir o que fazer. A expectativa é que Temer e Loures sejam denunciados pela PGR até a semana que vem.

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.