7 a 0: maioria no STF mantém Fachin na relatoria da JBS

Ministro Edson Fachin vai continuar na condução dos processos no Supremo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/06/2017 18:10 / atualizado em 22/06/2017 18:14

Lula Marques/AGPT/Fotos Públicas.

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) encerrou a votação desta quinta-feira (22/6) com sete votos favoráveis à permanência do ministro Edson Fachin como relator dos casos envolvendo delações premiadas da JBS. O tema será retomado em plenário, na próxima quarta-feira (28/6).

 

Ricardo Lewandowski foi o último ministro a votar. Ele concordou com o relator Fachin em quase todas as questões, divergindo apenas sobre o papel do plenário em relação a revisões dos acordos, tema que foi alvo de polêmica na primeira parte da sessão.

O ministro foi irônico com Fachin e o parabenizou "pelo voto e pela coragem de homologar as delações achando que está sabendo o regimento interno dessa casa e a lei das delações premiadas."

 

Leia mais notícias em Política  

 

Lewandowski garantiu, no entanto, que o plenário do Supremo pode revisitar a legalidade dos acordos. "A últiuma palavra relativamente à legalidade das clausulas da delação premiada é do colegiado", argumentou.

 

Marco Aurélio Mello, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli e Lewandowski acompanharam o voto de Fachin. O debate começou na quarta-feira (21/6).

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.