Ministro de Minas e Energia reitera apoio a presidente da Eletrobras

Fernando Coelho Filho salientou que o executivo "tem a nossa confiança, tem todo nosso apoio para poder tocar a agenda que tem na empresa"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/06/2017 20:00

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, saiu em defesa do presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, que na semana passada teve uma conversa com sindicalistas divulgada na qual ele chama funcionários da estatal de "vagabundos" e "safados". Coelho Filho afirmou que "o presidente acertou em reconhecer que exagerou na palavra", mas salientou que o executivo "tem a nossa confiança, tem todo nosso apoio para poder tocar a agenda que tem na empresa". Para o ministro, essa agenda "não é apenas de governo ou de austeridade, é para poder permitir que a Eletrobras possa continuar sobrevivendo", disse a jornalistas, no intervalo do Ethanol Summit 2017, em São Paulo.
 

Para ele, a situação da Eletrobras é "extremamente delicada". "Tem coisas que não dá para a gente conviver, não quero entrar no mérito de como chegaram até aqui, e não é contra um indivíduo, uma pessoa em si, é contra a empresa como um todo", disse. "Não dá para ver uma companhia que amargou nos últimos 4 anos R$ 32 bilhões de prejuízo dando uma oportunidade de privilégios a uma série de pessoas que não é justa com momento que o Brasil está vivendo", disse.

Ferreira Junior foi gravado criticando em particular funcionários em cargos mais altos da estatal. "São 40% da Eletrobras, 40% de cara que é inútil, não serve para nada, ganhando uma gratificação, um telefone, uma vaga de garagem, uma secretária. Vocês me perdoem. A sociedade não pode pagar por vagabundo, em particular, no serviço público", traz um trecho de cinco áudios.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.