Relatório sobre a indicação de Raquel Dodge para a PGR é lido na CCJ

Ao final da arguição pública, o nome dela será apreciado pelos membros do colegiado e deve ser levado ao plenário no mesmo dia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/07/2017 11:42

Minervino Junior/CB/D.A Press
O relatório sobre a indicação da subprocuradora Raquel Dodge foi lido, na manhã desta quarta-feira (5/7), na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. De acordo com as regras de indicação de autoridades do regimento interno, o presidente do colegiado, Edison Lobão (PMDB-MA), concedeu vistas coletiva e a sabatina da indicada está agendada para a próxima quarta-feira. Ao final da arguição pública, o nome dela será apreciado pelos membros do colegiado e deve ser levado ao plenário no mesmo dia.
 
A peça elaborada pelo relator, senador Roberto Rocha (PSD-MA), ressalta os aspectos mais importantes da carreira da subprocuradora e destaca a atuação dela na liderança da Operação Caixa de Pandora, que levou o então governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, à prisão. Rocha cita também a atuação de Raquel em causas de direitos humanos e indígenas ao longo da trajetória.
 
Desde ontem, Raquel começou uma peregrinação ao gabinete dos senadores para se apresentar e pedir apoio na votação, que será secreta, na próxima semana. Ela foi a segunda colocada na lista tríplice eleita pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) e assumirá o cargo de Procuradora-Geral da República ao final do mandato do atual PGR, Rodrigo Janot, em 17 de setembro.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.