Deputado diz que sentença de Moro é "imoral, ilegal, iníqua e inaceitável"

O deputado petista Wadih Damous comparou o conteúdo da decisão ao de uma "lata de lixo"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/07/2017 17:28

O deputado Wadih Damous (PT-RJ) classificou a sentença do juiz federal Sérgio Moro que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses de prisão como "imoral, ilegal, iníqua e inaceitável". Ele comparou o conteúdo da decisão ao de uma "lata de lixo".



"Um juiz que precisa de 200 páginas para condenar alguém, já mostra que o seu objetivo inicial não era julgar, não era consultar a prova dos autos, não era ouvir o depoimento, era condenar. Esse sempre foi o objetivo desse rapaz lá de Curitiba a quem me recuso a chamar de juiz, trata-se de um justiceiro", criticou o petista no plenário.

Damous disse que, na peça, Moro usa cerca de 60 das 200 páginas da sentença para negar que atua de maneira parcial. Para o deputado, o documento "é uma defesa, é uma flagrante ilegalidade" e Moro "usa o espaço vazio de quem não tem o que dizer para tratar de si próprio".

 

Leia mais notícias em Política

 

"Lendo a peça, a lamentável peça, por ele apelidada de sentença, vemos que é mais um caso de psicanálise do que de análise jurídica, e eu não sou psicanalista", ironizou.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.