Publicidade

Estado de Minas

PF deflagra operação para prender empresários do setor de construção

Os dois são acusados da prática de lavagem de dinheiro. As suspeitas surgiram após ser deflagrada a Operação Ponto Final, na qual foi presa Dayse Deborah Alexandra Neves


postado em 09/08/2017 11:00

As prisões preventivas foram decretadas pelo juiz Marcelo Bretas, responsável pelos desdobramentos da Lava-Jato no Rio de Janeiro(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
As prisões preventivas foram decretadas pelo juiz Marcelo Bretas, responsável pelos desdobramentos da Lava-Jato no Rio de Janeiro (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (9/8), a Operação Gotham City para prender dois empresários do ramo de construção civil. Os alvos são Nuno Coelho, conhecido como "Batman", e Guilherme Neves Vialle, apelidado de "Robin". Neves está no exterior e, por isso, já foi pedida a sua inclusão na difusão vermelha da Interpol. Coelho foi preso em Curitiba. 

Os dois são acusados da prática de lavagem de dinheiro. As suspeitas surgiram após ser deflagrada a Operação Ponto Final, na qual foi presa Dayse Deborah Alexandra Neves. Com ela, foram apreendidos documentos que indicam a provável existência de contas no exterior em seu nome, bem como a utilização dos empresários com a finalidade de ocultar a origem de recursos oriundos de atividades ilícitas. Dayse é casada com Rogério Onofre, ex-diretor do Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro (Detro/RJ) e também alvo da Ponto Final. 

Coelho e Vialle são sócios de dezenas de empresas, entre elas a VCG Empreendimentos Imobiliários e Kios Participações. Segundo o Ministério Público Federal, Dayse e seu marido faziam a lavagem de dinheiro de recursos ilícitos mediante a compra de imóveis em construção com o grupo empresarial de Coelho e Vialle. Eles são donos de 11 imóveis em empreendimentos das empresas de Coelho e Vialle. 

As prisões preventivas foram decretadas pelo juiz Marcelo Bretas, responsável pelos desdobramentos da Lava-Jato no Rio de Janeiro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade