Deputados batem boca na comissão da reforma política na Câmara

Sessão de ontem também teve desentendimentos entre os parlamentares

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
 
Os deputados da comissão especial que analisa a reforma política na Câmara dos Deputados se exaltaram após quatro horas de discussão nesta quinta-feira (10/8). A confusão começou quando o presidente do colegiado, Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), sugeriu que votaria de forma simbólica os destaques que faltam para que a matéria seja enviada ao plenário. 


"Não adianta gritaria no meu pé de ouvido. Sou uma pessoa muito tranquila", disse Vieira Lima. A declaração foi seguida de mais gritos e algumas declarações de que votar assim seria "golpe". Parlamentares da oposição defendem que a votação não pode ser simbólica porque há um acordo de que matérias mais importantes seriam votadas de forma nominal. 

Já o presidente da comissão afirma que "ficou decidido que seria de competência do presidente dizer se seria nominal ou não. 

A reunião, que começou às 11h, continua no plenário 2 da Câmara. Os deputados seguem debatendo a melhor forma de votação. 
 
Se, hoje, os parlamentares se exaltaram, ontem o clima na Comissão Especial era outro. Após quase 10 horas de sessão, nem o presidente, o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) nem o relator, deputado Vicente Cândido (PT-SP), perderam o bom humor.
 
Vieira Lima fez chacota com alguns partidos, quando, nos encaminhamentos de voto, líderes fizeram discursos elogiosos à sigla que pertencem. Também brincou com os assessores parlamentares, aparentemente desinformados com detalhes da longa sessão. “Ninguém aqui está me ajudando. Vamos, gente. Vocês precisam trabalhar. Todos aqui ganham muito bem”, disse, em tom de brincadeira.
 
Em determinado momento, um deputado de Pernambuco chamou o presidente da sessão de “inconveniente”, justificando-se pela tradicional rixa entre baianos e pernambucanos. Ainda bem-humorado, o presidente disse: “falta a vocês a calma de quem nasce na Bahia. Vossa excelência ainda nem ouviu o que tenho a dizer e já me chama de inconveniente... Se acalme, deputado”, comentou.
 
A votação da PEC que prevê a Reforma Política está prevista para ser concluída ainda hoje. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.