Com viagem marcada, Maia quer votar reforma política nesta quarta-feira

A falta de consenso em pontos polêmicos do texto fez com parlamentares marcassem três reuniões deliberativas em comissões para tentar aparar as arestas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
EVARISTO SA

 
Após um dia tenso de negociações, reuniões e debates, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) informou que a PEC 77/2003, sobre a reforma política, deve ser votada ainda nesta quarta-feira (16/8) em plenário. 
 
 
Nesta terça-feira (15/8), o parlamentar afirmou ao Correio que a ideia era apenas debater o assunto e deixar a apreciação para a semana que vem, mas os líderes teriam chegado a um acordo. A falta de consenso em pontos polêmicos do texto fez com parlamentares marcassem três reuniões deliberativas em comissões para tentar aparar as arestas.

Um dos problemas é a mudança do sistema de voto para o chamado distritão, no qual os mais votados são eleitos, desconsiderando o coeficiente eleitoral. Outro, é o fundo de financiamento público de campanha, que deve consumir R$ 3,6 bilhões dos cofres públicos em anos eleitorais. Ainda não foi definido de onde virá o dinheiro.

Na 22ª reunião da comissão especial da reforma política, o presidente do colegiado, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), informou que os destaques da PEC seriam votados só na próxima terça-feira (22/8). “Vocês não queriam deliberar? Vamos ter um debate para depois ninguém falar que isso foi feito a toques de caixa.”

Na quinta-feira (17/8), Rodrigo Maia viaja para Lima, no Peru, acompanhado de alguns parlamentares. Deve retornar na sexta. Nos bastidores da Casa, comenta-se que este seria o principal motivo para que Maia adiantasse a votação da reforma. Ainda assim, apenas o texto-base do documento deve ser apreciado na noite desta quarta-feira.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.