Comissão de Ética do PMDB recomenda suspender Kátia Abreu

Ela é alvo de processo de expulsão do partido e o pedido deve ser analisado pela Executiva da sigla

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/08/2017 08:26

Evaristo Sá/AFP
A Comissão de Ética do PMDB encaminhou nesta quarta-feira (16/8), pedido para suspender temporariamente a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) das atividades partidárias. Ela é alvo de processo de expulsão do partido e o pedido deve ser analisado pela Executiva da sigla. Em relação ao senador Roberto Requião (PMDB-PR), também alvo de pedido de expulsão, a Comissão de Ética decidiu dar prosseguimento ao pedido e já designou um relator pra o caso

Kátia e Requião são críticos ao governo de Michel Temer e têm atuado no Senado de forma contrária às orientações do Planalto. A senadora já deu indicações que deve deixar a sigla, enquanto o senador paranaense tem dito que vai brigar para permanecer na legenda a qual é filiado desde a década de 1980.

Para pedir a suspensão de Kátia, a comissão de ética do PMDB utilizou artigo que prevê a medida em casos na qual "a demora do processo" torne a penalidade ineficaz. É o caso, por exemplo, de uma eventual mudança de legenda.

O PMDB já havia determinado a suspensão das atividades partidárias dos seis deputados da sigla que votaram a favor do andamento da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara, no início do mês. Com a decisão, eles ficaram impedidos de ocupar cargos de direção no partido e podem ser afastados de eventuais posições em comissões, mas mantêm as atividades parlamentares normalmente.

Kátia afirmou, por meio de sua assessoria, que vai aguardar a decisão da Executiva do partido para comentar. Em defesa encaminhada mais cedo, a senadora aponta "vícios processuais" no pedido de expulsão e pede que sejam ouvidos 24 testemunhas, incluindo o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e os ministros Leonardo Picciani (Esportes) e Gilberto Kassab (Comunicações).

O PMDB não se manifestou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
carlos
carlos - 17 de Agosto às 10:39
PMDB AGE ARBITRARIAMENTE PORQUE ELA FOI CONTRA O IMPEATCHMAN, ASSIM COMO O JUIZ QUE PERSEGUE EM SP UMA HERDEIRA QUE DOA DINHEIRO PARA LULA NA SUIÇA! O BRASIL VIROU ANARQUIA POLITICA E DO JUDICIÁRIO!