Conselho de Ética do Senado adia processo disciplinar contra Lindbergh

O presidente do colegiado, João Alberto Souza (PMDB-MA), cancelou a sessão prevista para esta terça-feira e convocou uma nova reunião para sortear o relator da denúncia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/08/2017 20:36

Pedro França/Agência Senado

 
O Conselho de Ética do Senado adiou em pelo menos uma semana o início do processo disciplinar contra o líder do PT na Casa, Lindbergh Farias (RJ). O presidente do colegiado, João Alberto Souza (PMDB-MA), cancelou a sessão prevista para esta terça-feira (22/8) e convocou uma nova reunião para sortear o relator da denúncia por quebra de decoro parlamentar para a próxima terça-feira (29/8). Após escolhido, o relator terá cinco dias úteis para emitir o parecer preliminar sobre o caso.
 

A denúncia é para que o Conselho analise se cabe punição ao petista por sua conduta na reunião anterior, quando Lindbergh interrompeu a sessão em curso. Na ocasião, o líder do PT no Senado discutiu, exaltado, com o presidente da comissão, acusando-o de estar desmoralizado por ter arquivado uma representação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), investigado na Operação Lava Jato.

A confusão quase terminou em agressão física quando outros senadores interferiram em defesa de João Alberto. O senador Sérgio Petecão (PSD-AC) chegou a desferir golpes no ar, sem, no entanto, atingir o petista.

A denúncia contra Lindbergh é assinada pelo senador José Medeiros (PSD-MT), um dos que discutiu com Lindbergh na reunião anterior. Segundo o presidente do conselho, há indícios de quebra de decoro e o conselho deve analisar o caso.

De acordo com o regimento do Conselho de Ética, este tipo de denúncia pode levar a uma advertência ou censura verbal ou escrita.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.