Janot: Congresso reage à Lava-Jato como aconteceu na Itália com Mãos Limpas

"Basta olhar as iniciativas legislativas feitas na Itália e as iniciativas legislativas que são apresentadas aqui", disse o procurador-geral em evento no Rio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/08/2017 13:50

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou nesta segunda-feira (28/8), que o modo como deputados brasileiros reagem à Lava-Jato se assemelha ao que aconteceu na Itália durante as Operações Mãos Limpas, também de combate à corrupção. "Se a gente fizer um paralelo do que aconteceu na Itália e do que aconteceu aqui, boa parte do que se passou na Itália se passou ou está se passando aqui no Brasil. Basta olhar as iniciativas legislativas feitas na Itália e as iniciativas legislativas que são apresentadas aqui", disse o procurador-geral em evento no Rio promovido pelo jornal O Globo.


"Algumas iniciativas do Congresso geraram perplexidade. Uma delas foi a do abuso de autoridade, que estava em tramitação desde 2006. Caminhava, parava, caminhava parava, mais ou menos com algum andamento mais marcante das investigações. O abuso de autoridade chamou a atenção. Causou preocupação o fato de tentarem implantar o crime de hermenêutica. O direito se dá com interpretação. Ser tipificado como crime é muito complicado, afirmou.

 

Leia mais notícias em Política

 

Janot falou a jornalistas e convidados por uma hora e meia e respondeu a perguntas. Antes, deu entrevista rápida e comentou o fato de sua sucessora na PGR, Raquel Dodge, ter tido encontro com o presidente Michel Temer (PMDB) fora da agenda. Sem querer fazer juízo de valor, disse que não tem esse tipo de conversa extraoficial. Raquel foi ao Palácio do Jaburu à noite e, posteriormente, declarou que havia tratado de sua posse com o presidente.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.