BNDES espera que controladores da JBS reconheçam conflito de interesses

A J&F recorreu ontem contra liminar concedida a pedido da BNDESPar e da Caixa, que havia impedido a participação de Wesley e Joesley Batista na AGE de hoje

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/09/2017 15:37

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou nesta sexta-feira (1/9), por meio de nota, que não haverá prejuízo para o frigorífico JBS se o prazo de 15 dias da suspensão judicial da realização da Assembleia Geral Extraordinária (AGE), inicialmente marcada para hoje, for utilizado para garantir que a reunião ocorra sem conflito de interesses. O BNDES informou que espera que os próprios controladores da JBS reconheçam o conflito de interesses.


A Justiça Federal de São Paulo deferiu parcialmente, na manhã desta sexta-feira, o agravo de instrumento da J&F, holding da família Batista que controla a JBS, e suspendeu, por 15 dias, a AGE que foi convocada pela BNDESPar, empresa de participações do banco de fomento, e estava marcada para hoje.

A J&F recorreu ontem contra liminar concedida a pedido da BNDESPar e da Caixa, que havia impedido a participação de Wesley e Joesley Batista na AGE de hoje. Os irmãos foram impedidos de participar sob alegação de conflito de interesses, já que a AGE deliberaria sobre o afastamento da família Batista da gestão da JBS. A suspensão aconteceu minutos antes do início da assembleia Acionistas já estavam reunidos na manhã desta sexta-feira na sede da JBS.

Na nota divulgada, o BNDES diz que "a suspensão favorecerá uma solução objetiva da questão do conflito de interesses relacionado ao voto dos controladores". "Essa decisão judicial está em linha com o nosso objetivo de manter a assembleia para que a decisão seja tomada em busca do melhor para a companhia, afastado qualquer conflito de interesses", diz um trecho da nota creditado à diretora Eliane Lustosa, que responde pela BNDESPar.

 

Leia mais notícias em Economia

 

"Nossa expectativa é que os próprios controladores reconheçam o conflito de interesses. A BNDESPar somente buscou o Poder Judiciário porque o controlador ainda não reconheceu o seu conflito. Se não houver esse reconhecimento, a BNDESPar vai tomar todas as medidas necessárias para resguardar a aplicação da legislação societária", diz um outro trecho, creditado ao diretor jurídico do BNDES, Marcelo de Siqueira Freitas.

O BNDES também informou que mantém sua intenção de voto na AGE, publicada em seu site em 14 de agosto, que pede que a JBS mova ação de responsabilidade contra os administradores que firmaram acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal, incluindo os irmãos Batista.

 

Tags: jbs bndes
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.