Ministro Luiz Fux defende prisão de delatores da JBS

Magistrado comentou as revelações durante uma sessão que contou com a participação de Rodrigo Janot

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/09/2017 15:11 / atualizado em 06/09/2017 15:15

José Cruz/Agência Brasil
Durante uma sessão do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Luiz Fux defendeu a prisão do dono da JBS, Joesley Batista, e do diretor de Relações Institucionais da empresa, Ricardo Saud. Na presença do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Fux afirmou que os delatores "ludibriaram o Ministério Público". 


Leia mais notícias em Política

O ministro declarou ainda que os executivos da empresa degradaram a imagem do Brasil em um plano internacional. "Delatores devem passar do exílio de Nova York para o exílio da Papuda", afirmou.

Joesley e Ricardo Saud receberam uma série de benefícios por conta das informações que repassaram aos procuradores. No entanto, uma nova gravação, de quatro horas, entregue ao STF revela uma intenção clara de interferir nos trabalhos da Suprema Corte e do Ministério Público Federal (MPF).
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
alberico
alberico - 06 de Setembro às 18:41
As conjecturas na fita do Joesley não invalidam o acordo de colaboração e nem desdizem os crimes praticados pelo Temer e pelo Rodrigues Rocha Loures. O Janot e os Min do STF estão fazendo tempestade com copo d"agua.
 
alberico
alberico - 06 de Setembro às 18:38
A fita do Joesley e do Ricardo Saud não revelam nada que a nosso povo não saibam, não passa de conjecturas sem nenhuma importância, o que o STF deveria fazer era julgar os políticos corruptos, isso eles não fazem, agora eles vem querer aparecer por conta de nada.
 
marcelo
marcelo - 06 de Setembro às 16:38
Agora quero ver se a PGR é petista ou nao, essa operação tabajara da pgr foi um desastre