Temer é recebido com vaias no desfile do 7 de setembro

O evento custou aos cofres públicos cerca de R$ 790 mil, R$ 300 mil a menos do que em 2016

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/09/2017 09:47 / atualizado em 07/09/2017 16:43

Ed Alves/CB/DA Press

 
O presidente Michel Temer foi recebido sob vaias, na manhã desta quinta-feira (7/9), no desfile do 7 de setembro, na Esplanada dos Ministérios. O peemedebista chegou às 9h acompanhado da primeira-dama, Marcela Temer, e o filho mais novo, Michelzinho. A família subiu ao palanque onde esperam a chegada de vários ministros. Assim como no ano passado, quando havia assumido recentemente a presidência, Temer dispensou o carro aberto e a faixa presidencial. 
 
 
Compareceram também ao evento os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria Geral), Raul Jungmann (Defesa), Torquato Jardim (Justiça), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) e a advogada geral da União, Grace Mendonça. Além deles, os presidentes do Congresso, Eunicio Oliveira, e da Câmara, Rodrigo Maia. De autoridades do Distrito Federal, só está no local o governador Rodrigo Rollemberg, acompanhado da esposa, Márcia Rollemberg. 
 
Em meio à crise econômica em que vive o país, o desfile cívico militar custou cerca de R$ 790 mil, R$ 300 mil a menos do que no ano passado. O preço deste ano foi o mais baixo desde 2010, no último desfile do mandato do ex-presidente Lula. O evento de 2016 ocorreu apenas uma semana depois que Temer assumiu a presidência, após o impeachment de Dilme. O então presidente foi recebido com vaias e aplaudos. 
 

Segurança 

A marcha cívica movimentou a Esplanada e alterou a rotina do brasiliense com mudança no trânsito e policiamento reforçado. Este ano, mais de 830 policiais farão a segurança da população durante a apresentação, marcada para começar às 9h e com expectativa de público de 40 mil pessoas, segundo o Ministério da Defesa. No ano passado, o efetivo era de 1,5 mil homens e mulheres. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Fernando
Fernando - 07 de Setembro às 11:26
É o que ele e sua "curriola" ,merecem, vaias