Doria agora admite disputar prévias presidenciais com Alckmin no PSDB

O prefeito disse não ser contra a realização de prévias nacionais, mas defendeu também o uso de pesquisas, que são um instrumento "bom e legítimo para se ter a avaliação dos candidatos"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/09/2017 13:13

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press
Após afirmar ao jornal O Estado de S. Paulo que não disputará prévias com o governador Geraldo Alckmin para escolha do presidenciável em 2018 dentro do PSDB, o prefeito de São Paulo, João Doria, admitiu nesta terça-feira (12/9), que pode sim enfrentar seu padrinho político nessa disputa.

"Eu tenho, pessoalmente, muito constrangimento, porque gosto do governador Alckmin, é meu amigo e por quem mantenho profunda admiração. Preferiria não, mas o tempo vai dizer, temos até dezembro, início de março, para formatar isso", disse o tucano, que fez o discurso de abertura do Fórum Latino-Americano de liderança estratégica em infraestrutura, na capital paulista.

Na segunda-feira (11/9), Doria e Alckmin participaram de um almoço no Lide, grupo de lideranças empresariais que contou com a participação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No evento, FHC defendeu a "união" dos potenciais candidatos tucanos ao Planalto e disse entender que março seria uma data limite para a realização de prévias dentro do partido.

O prefeito disse não ser contra a realização de prévias nacionais, mas defendeu também o uso de pesquisas, que são um instrumento "bom e legítimo para se ter a avaliação dos candidatos". Segundo Doria, intenção de voto, rejeição e grau de conhecimento são fatores que podem ajudar o PSDB a escolher seu candidato. O prefeito também reiterou o discurso de FHC no evento da véspera, afirmando que o "PSDB continua e continuará unido".
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.