PGR pede nova prisão preventiva para Joesley Batista e Ricardo Saud

Ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, é quem analisa o pedido para manter o empresário na cadeia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/09/2017 18:59

AFP PHOTO / Sergio LIMA

 
A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu no começo da noite desta quinta-feira (14/9), que a prisão temporária dos empresários Joesley Batista e Ricardo Saud, da J&F, sejam convertidas em prisões preventivas. Com isso, o tempo de reclusão de ambos passaria a ser indeterminado, e não de cinco dias, como foi decidida inicialmente. O pedido de extensão da detenção deles está sendo analisada pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.
 

A prisão temporária de Joesley Batista se encerra nesta sexta-feira (15/9). No entanto, ele já teve a prisão preventiva decretada no processo que investiga se ele e o irmão, Wesley Batista, cometeram crimes contra o sistema financeiro. Eles são acusados de promoverem a venda de dólar futuro dias antes de fecharem um acordo de delação premiada com a PGR.

Já Ricardo Saud poderá deixar a reclusão amanhã, caso o ministro Fachin negue a prisão preventiva ou demore para tomar a decisão. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.