Economista Gustavo Franco deixa o PSDB e se filia ao Partido Novo

A fundação vai elaborar o programa de governo do Novo, desenvolver estudos de políticas públicas, conduzir atividades de educação política e realizar acordos com instituições no exterior

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/09/2017 09:25

Paulo Whitaker/Reuters
O economista Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central na gestão Fernando Henrique Cardoso, vai presidir a Fundação Novo, ligada ao Partido Novo. Franco deixou o PSDB se filiou recentemente à legenda. A fundação vai elaborar o programa de governo do Novo, desenvolver estudos de políticas públicas, conduzir atividades de educação política e realizar acordos com instituições no exterior.

"Nos últimos anos os horizontes se ampliaram extraordinariamente para as ideias pró-mercado e para novas abordagens sobre o desenvolvimento tendo como base o indivíduo, o progresso pessoal e a liberdade para empreender", disse Franco em nota ao partido. Um dos formuladores do Plano Real na década de 1990, o economista tem 61 anos.

A informação foi comemorada pelo ex-presidente do Novo João Amoedo, no Facebook. "Gostaria de compartilhar uma ótima notícia: o economista Gustavo Franco acabou de se filiar ao Novo e aceitou o convite para assumir o comando da Fundação Novo. Mais um passo importante rumo à construção de um país admirado", afirmou.

No início de agosto, em carta endereçada ao presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), Franco e outros economistas tucanos (Elena Landau, Edmar Bacha e Luiz Roberto Cunha) fizeram um "apelo" para que a sigla desembarcasse do governo Michel Temer e renovasse sua direção.

O texto foi divulgado nas redes sociais horas depois da vitória de Temer no plenário da Câmara, quando os deputados barraram o prosseguimento da primeira denúncia por corrupção passiva contra o peemedebista.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.