Acuado, Jucá dedica música de Zezé Di Camargo a algozes

Em entrevista a rádio de Roraima, senador se disse indignado com a exposição dos filhos em escândalos da Lava-Jato

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/10/2017 13:55 / atualizado em 01/10/2017 15:11

AFP Photo/Evaristo Sá e Reprodução/Facebook

 
Acuado pela Operação Lava-Jato, com os filhos indiciados pela Polícia Federal, o senador Romero Jucá (PMDB-RR), dedicou a música Passou da conta, da dupla Zezé Di Camargo & Luciano a seus algozes. O peemedebista concedeu entrevista à Rádio 93 FM, de Roraima, controlada por sua filha Marina Jucá, e se disse "indignado com essa história toda".

"Desejar a todos um beijo no coração, um pedido de desculpas aqui pela revolta, mas é porque eu estou indignado com essa história toda, pela exposição dos meus filhos e a minha também. Isso é uma jogada política de baixo nível, mas a gente vai respondendo de acordo com a necessidade", afirmou.
 

Na última quinta-feira, 28 de setembro, a PF indiciou dois filhos do líder do Governo no Senado, na Operação Anel de Giges. Segundo a PF, o ex-deputado estadual Rodrigo de Holanda Menezes Jucá e sua irmã Marina de Holanda Menezes Jucá foram indiciados pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

A Anel de Giges investiga suposto desvio de R$ 32 milhões por meio do superfaturamento na aquisição da Fazenda Recreio, localizada em Boa Vista e na construção do empreendimento Vila Jardim, do projeto Minha Casa Minha Vida no bairro Cidade Satélite, na capital de Roraima.

No fim do programa, o locutor perguntou a Jucá se ele havia escolhido uma música.

"Escolhi uma música aqui, vamos acabar em paz, né? Para não dizer que a gente está com raiva da Dona Luiza, do delegado Bernardo, eu vou oferecer a eles uma música do Zezé Di Camargo e Luciano. Para a gente acabar com música. O título da música é Passou da conta. Mas a música é uma música bonita. Então, fica aqui a homenagem, tá?", afirmou.
 
 

A Anel de Giges foi desencadeada por ordem da juíza Ana Emília Aires, da 4.ª Vara Federal de Boa Vista (RR). Jucá atacou a juíza que deflagrou operação.

"Recebo essa agressão a mim e a minha família como uma retaliação de uma juíza federal, que, por abuso de autoridade, já responde a processo no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Tornarei público todos os documentos que demonstrarão a inépcia da operação de hoje", declarou em nota o senador, no dia da deflagração da operação da PF.

Defesa

Em nota, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal criticou as declarações do senador Romero Jucá à Rádio 93 FM, de Roraima:

"A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal vem a público desagravar a honra e imagem dos Delegados de Polícia Federal em Roraima que, no estrito cumprimento dos seus deveres legais, atuaram na Operação Anel de Giges. Inconformado com a investigação da Polícia Federal, o pai de alguns dos investigados na operação, Senador da República, fez referências depreciativas em programa de rádio, citando nominalmente as Autoridades Policiais, em detrimento das atividades do cargo público, maculando a lisura de suas ações. A sociedade brasileira confia e reconhece a excelência do trabalho realizado pela Polícia Federal. Os Delegados Federais, neste ato representados pela ADPF, reafirmam seu apoio e a sua confiança nas autoridades policiais responsáveis pela operação e ressaltam a importância do exercício livre e regular das funções públicas de Polícia Judiciária da União".
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.