CPMI da JBS remarca depoimento de procurador suspeito de vazar dados

Vilella é suspeito de receber propina para vazar informações sobre investigações da Procuradoria-Geral da República

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/10/2017 10:56

O presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), afirmou nesta terça-feira (3/10) que o depoimento do procurador Ângelo Goulart Villela, que aconteceria na quarta (4), foi transferido para o próximo dia 17 de outubro. Foi a quarta mudança da data da oitiva.

Segundo Oliveira, a justificativa para o novo adiamento, segundo advogados do procurador, é pelo "grave estado de saúde do seu pai", que está internado no Rio. A data do dia 17 foi solicitada pelos advogados.

Vilella é suspeito de receber propina para vazar informações sobre investigações da Procuradoria-Geral da República. Ele chegou a ser preso, no dia 18 de maio, durante a Operação Patmos, e solto em agosto por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). 

Ainda nesta terça-feira, a CPI pretende ouvir os primeiros depoimentos relacionados ao caso. Estão previstas oitivas com o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Luciano Coutinho e do advogado Márcio Lobo, que representa a associação de acionistas minoritários da empresa.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.