Temer marca viagens para Norte e Nordeste em meio à tramitação de denúncia

Ao justificar a agenda cheia de reuniões, o presidente disse que o "diálogo é fundamental para a harmonia entres os Poderes"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/10/2017 12:43

Sérgio Lima/AFP
Em meio à tramitação da segunda denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) - desta vez por obstrução de justiça e organização criminosa - o presidente Michel Temer deve fazer mais viagens nesta semana. Na quinta-feira (5/10), o presidente deve ir a Belém, capital do Pará, pela manhã, para a assinatura do Protocolo de Intenções para cessão de lote para a Basílica Nossa Senhora de Nazaré. 

Depois, na parte da tarde, o presidente visita o Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. Neste caso, a visita deve ser rápida e não haverá cerimônia com discursos. 

Nesta quarta-feira (4/10), Temer deve participar de uma cerimônia no Palácio do Planalto com ações para pequenas e microempresas e, à tarde, tem programada uma visita a São Bernardo do Campo, noa ABC paulista, para entregar ambulâncias. 

Nesta terça (3/10), Temer tem uma agenda extensa com mais de 40 parlamentares, repetindo a rotina que já teve durante a tramitação da primeira denúncia da PGR contra o presidente, por corrupção passiva. 

Em mensagens pelo Twitter, o presidente justificou a agenda extensa e voltou a criticar a denúncia apresentada pelo então Procurador-Geral, Rodrigo Janot. "Precisamos lidar com mais uma denúncia inepta e sem sentido, proposta por uma associação criminosa que quis parar o País. O Brasil não será pautado pela irresponsabilidade e falta de compromisso de alguém que se perdeu pelas próprias ambições", escreveu. 

Ao justificar a agenda cheia de reuniões, o presidente disse que o "diálogo é fundamental para a harmonia entres os Poderes". "Vou conversar com representantes de todos os partidos da base, de todas as regiões do Brasil. É uma rotina que sempre mantive", disse.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.