Aécio escreve carta aos senadores e pede para não ser condenado

O senador afastado diz estar "enfrentando uma trama ardilosamente construída" e pede apoio do Senado para continuar no mandato

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/10/2017 17:30 / atualizado em 17/10/2017 19:07

AFP / EVARISTO SA


No dia em que o Senado decide sobre o futuro do seu mandato, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) enviou uma carta aos colegas de Casa em que diz não ter cometido crimes, e que as decisões tomadas pelo Senado vão interferir em estados e municípios de todo o país. "Caro colega, talvez você possa imaginar a minha indignação diante da violência a que fui submetido e o sofrimento causado a mim, à minha família e a tantos mineiros e brasileiros", começa a carta.

 

Aécio está afastado das atividades parlamentares e cumprindo reclusão noturna desde o fim de setembro, por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). A manutenção ou revogação dessas medidas cautelares é votada votada e precisa ser referendada por 41 dos 81 senadores.

“Não houve em nenhum momento oferta de contrapartida ou envolvimento de dinheiro público, o que descaracteriza qualquer ato ilícito”, se defende o tucano. “Por fim, peço seu apoio e seu voto para que eu possa no exercício do mandato, que me foi conferido pelos mineiros, apresentar minha defesa e provar minha inocência frente a ataques tão violentos quanto injustos”, encerra.

Leia a carta na íntegra:

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.