Cassado pelo Senado, Delcídio Amaral diz que foi 'boi de piranha'

Ex-senador afirma que 'acrobacias jurídicas' livraram Aécio; Para Lula, tucano 'plantou ódio' e 'colhe tempestade'

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/10/2017 08:14 / atualizado em 19/10/2017 09:57

André Correia/Agência Senado
 
Cassado por unanimidade no ano passado, o ex-senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) criticou ontem a decisão na qual o Senado autorizou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) a retomar o mandato e derrubou o recolhimento noturno que havia sido imposto pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Para Delcídio, enquanto "há provas de que Aécio é culpado", ele foi julgado de forma injusta. "Infelizmente, acrobacias jurídicas livraram a cara do Aécio Neves. O caso dele é gravíssimo, envolvendo malas de dinheiro e pedido de empréstimo de R$ 2 milhões a um empresário. No meu caso, nem uma perícia dos áudios foi realizada. Não pude me defender", disse o senador cassado à Rádio Guaíba, de Porto Alegre. 

"Eles quiseram entregar um boi para as piranhas, pois o restante da boiada passaria. Agora com Aécio, não tiveram o mesmo entendimento e acharam que sobraria para todo mundo. Por isso o livraram", afirmou.

Em 2015, quando era senador pelo PT, Delcídio foi preso em flagrante sob acusação de tentar evitar que o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró fizesse delação premiada. O Senado votou pela manutenção da prisão determinada pelo STF e cassou o mandato do ex-petista.

Lula

Às vésperas de iniciar uma caravana por Minas Gerais, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que Aécio "plantou ódio e está colhendo tempestade". Em entrevista à Rádio Super Notícia, de Belo Horizonte, Lula disse que nas campanhas em que saiu derrotado não vendeu "ódio como o Aécio vendeu quando perdeu para a Dilma (Rousseff, em 2014)". "Vendi paz e amor".

O ex-presidente voltou a afirmar que vai ser candidato novamente ao Palácio do Planalto no ano que vem "só porque não querem", mas disse que está "nu" diante das investigações das quais é alvo no âmbito da Operação Lava Jato.

Lula disse ser vítima de um "pacto maquiavélico" entre Polícia Federal, o Ministério Público, Poder Judiciário e a imprensa para tirá-lo da disputa de 2018. O ex-presidente disse estar hoje, politicamente, igual ou melhor do que antes. "Quem está pior é o pessoal da Lava Jato, que contou mentira a meu respeito", disse. Segundo Lula, o juiz Sérgio Moro "está me julgando e está me condenando por coisa que ele próprio diz que eu não fiz". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.