Lúcio Funaro diz que filmou reuniões em seu escritório por oito anos

Em depoimento, doleiro também disse que o presidente Michel Temer e o ex-ministro Geddel Vieira Lima sabiam do esquema para desviar recursos da Caixa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/10/2017 19:47

O doleiro Lúcio Funaro afirmou que entregou à Justiça gravações que registram encontros dele com políticos e empresários durante oito anos. De acordo com o delator da Operação Lava-Jato, as imagens das reuniões foram registradas em seu escritório. As declarações foram feitas durante depoimento na 10ª Vara Federal de Brasília, nesta sexta-feira (27/10) no processo que investiga desvios no Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).


Leia mais notícias em Política

O doleiro também afirmou que o presidente Michel Temer, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, Henrique Alves e Lúcio Vieira Lima sabiam do esquema. De acordo com Funaro, as gravações e os detalhes da participação de cada um dos citados estão descritas em seu acordo de colaboração com a Justiça.

O delator disse ainda que diversos políticos receberam propina, entre eles o ex-deputado Eduardo Cunha. "Políticos de diversos partidos receberam dinheiro do esquema. Teve gente do PMDB, PSC, PT. Receberam Henrique Alves, Lúcio Vieira Lima, André Moura, Manoel Júnior, da Paraíba. O deputado Eduardo Cunha tinha credibilidade com os deputados. Ele seguiu com todos esses deputados fieis a ele, que foram aumentando cada vez mais. Eu vi ele no almoço pedindo doação pro Vaccarezza que é do PT”. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.