Transferência de Sérgio Cabral é negada por Gilmar Mendes

A decisão de mandar o ex-governador para um presídio federal foi tomada pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, do Rio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/10/2017 12:20 / atualizado em 31/10/2017 14:08

Yasuyoshi Chiba/AFP
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes suspendeu nesta terça-feira (31/10) o pedido de transferência do ex-governador Sérgio Cabral para o presídio federal de Campo Grande (MS).  Em medida liminar de caráter urgente, Mendes alegou “que a transferência do paciente [Cabral] ao sistema penitenciário federal de segurança máxima não se justifica no interesse da segurança pública”. 
 

A transferência havia sido solicitada pelo Ministério Público Federal (MPF) depois do desentendimento entre o réu e o juiz Marcelo Bretas, da 7 Vara Federal do Rio de Janeiro, durante o interrogatório da última segunda-feira (23). Durante o depoimento, o ex-governador fez menção à atividade da família do juiz a quem comparou o próprio caso. O MPF alegou então que o réu recebia “informações no presídio, inclusive da família do Magistrado” e por essa razão, solicitou a transferência do réu a um presídio federal onde ficaria impossibilitado de atrapalhar a instrução deste processo e de outros processos”.

Mas, de acordo como a defesa do ex-governador, ao mencionar que a família de Bretas trabalhava com bijuterias, Cabral utilizou informações públicas. Além disso, os advogados alegaram que Cabral "não representa risco à segurança pública". Foi sob essa justificativa que a defesa entrou com pedido de habeas corpus negados em primeira e segunda instância - pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) e pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Marcio
Marcio - 31 de Outubro às 18:12
Rapááá;;; Q velho COOORRNNOOO SAFHADH0 !!! Um "elemento" inútil e uzurpador do $$ público como este não é digno de respeito, não faz o trabalho que tem que fazer, aliás, age em causa própria, defendendo parentes, conhecidos e amigos, os piores facínoras do país, contanto que lhe paguem o que pede. 0RDIN@RI0 e SEM VERGONHA !!!!
 
Marcos
Marcos - 31 de Outubro às 16:26
E vcs acham mesmo que Cabral está pobre e lascado?!! Ainda tem muita grana guardada e serve justamente pra isso, pagar os honorários do Gilmar Mendes e outros déspotas que se travestem de protetores da justiça! Bobo quem acredita na justiça e que vamos melhorar tão cedo dessa situação de descalabro com o povo!!
 
carlos
carlos - 31 de Outubro às 15:57
AVE! BRASIL ACABOU!