Temer e Maia colocam panos quentes sobre declaração polêmica de ministro

O recuo de Maia foi uma surpresa. Na quarta-feira, ele classificou as palavras do ministro como %u201Cinfantis%u201D e %u201Cirresponsáveis%u201D

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/11/2017 22:14

AFP PHOTO / Nelson ALMEIDA

 

O presidente da República, Michel Temer, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), procuraram colocar panos quentes sobre a polêmica instaurada pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim. A pessoas próximas, o peemedebista declarou nesta quinta-feira (2/11) que pediu ao auxiliar que evite dar novas declarações a respeito de que há uma associação de policiais do Rio em cargo de comando com o crime organizado no estado fluminense.



Na Itália, Maia admitiu também nesta quinta que as declarações de Torquato são pertinentes e reconheceu que o auxiliar de Temer disse verdades por linhas tortas. Mas questionou o tom usado. “Eu acho que ele falou muita verdade ali, só que não sei se foi da forma adequada. Eu acho que talvez aquela entrevista valesse depois de uma ação da polícia, com meses de investigação, pegando aqueles que estão boicotando as ações de segurança no Rio”, disse o presidente da Câmara ao jornal Folha de São Paulo.

O recuo de Maia foi uma surpresa. Na quarta-feira, ele classificou as palavras do ministro como “infantis” e “irresponsáveis”. O democrata criticou a postura de Torquato em reafirmar as colocações ditas antes, em entrevistas à imprensa. Governistas avaliam que as atitudes de Temer e do presidente da Câmara mostram que os dois tentam aparar as arestas e abrir caminho para a retomada das discussões da agenda de reformas.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.