Publicidade

Estado de Minas

Câmara aprova projeto que extingue redução de pena de condenados

De olho na segurança, Câmara dos Deputados aprova dois projetos de combate ao crime. Um deles extingue a redução da pena de condenados com menos de 21 anos de idade


postado em 08/11/2017 06:00

Os deputados estabeleceram o regime de urgência para outras quatro propostas: pauta de olho na eleição do ano que vem(foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Os deputados estabeleceram o regime de urgência para outras quatro propostas: pauta de olho na eleição do ano que vem (foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)


Atentos à crise de violência que atinge o país e buscando argumentos para sustentar uma eleição em 2018, deputados analisaram, a toque de caixa, projetos de segurança pública. Em uma semana praticamente dedicada ao tema, após muito bate-boca da oposição e discursos agressivos da bancada da bala, os parlamentares aprovaram dois projetos de lei e votaram pela urgência de outros quatro. A proposta que retira do Código Penal dispositivo que atenua a pena quando o criminoso for menor de 21 anos foi aprovada e segue para o Senado. A mudança também extingue a redução do prazo de prescrição se o autor do crime não tiver completado 21 anos.


O plenário da Câmara também aprovou e enviou para apreciação dos senadores o PL nº 3.019/15, que obriga as operadoras de celular a instalarem bloqueadores de sinal em estabelecimentos penais. A multa prevista para quem descumprir a medida é de até R$ 1 milhão. “Se nós não mudarmos a estrutura da segurança pública, que está podre, e não buscarmos maneiras de sustentar isso, teremos no Brasil todo este caos que existe hoje no Rio de Janeiro. Devemos as execuções de policiais à incompetência dos nossos gestores, mal-intencionados e inimigos da segurança. Devemos mudar a legislação enquanto tivermos esses canalhas que não apoiam a polícia”, afirmou o Major Olímpio (SD-SP), integrante da bancada da bala.

Leia mais notícias em Política

  

Relator do PL nº 388/15, o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) afirmou que “é de suma importância resolver o que se propõe aqui, porque a segurança pública é a grande preocupação da sociedade neste momento”. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que “não há interesse em institucionalizar o assunto”. Segundo ele, “a mudança na legislação é importante porque ela precisa de ajustes”.


Em 2018, Maia espera colocar em votação projetos para “endurecer o combate ao tráfico de armas e de drogas no país”. Segundo o presidente da Casa, a elaboração da proposta é capitaneada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que trabalha com um time de juristas.

 

Urgência

Os PL 388/15 (que acaba com a saída temporária de presos); 8.048/17 (que cria novo tipo penal para punir uso de pessoas como escudo humano); 4.471/12 (sobre o fim do auto de resistência); e 5.880/16 (que institui o cadastro nacional de desaparecidos) serão votados em regime de urgência nos próximos dias.

 


Um dos mais interessados na aprovação de projetos relativos à segurança pública, o governador do Rio de Janeiro,  Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), classificou como “importantíssimo” o debate sobre o tema no Congresso. “Tudo o que se relaciona com segurança pública para o estado do Rio de Janeiro é música para os nossos ouvidos. A gente vem cobrando, há muito tempo, medidas nesse sentido”, ressaltou o peemedebista, após encontro com Rodrigo Maia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade