Publicidade

Estado de Minas

STF mantém multa de condenado no processo do mensalão mesmo com indulto

Por maioria, a Corte negou recurso protocolado pelo ex-tesoureiro do extinto PL, Jacinto Lamas


postado em 08/11/2017 15:59

A defesa de Lamas alegou que a extinção da pena de prisão também vale para afastar a continuidade do pagamento da multa(foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
A defesa de Lamas alegou que a extinção da pena de prisão também vale para afastar a continuidade do pagamento da multa (foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (8/11) que condenados não ficam livres do pagamento das multas oriundas do processo ao receberem indulto anual editado pela Presidência da República. Por maioria, a Corte negou recurso protocolado pelo ex-tesoureiro do extinto PL, Jacinto Lamas, condenado na Ação Penal 470, o processo do mensalão, em 2013, para deixar de fazer o pagamento parcelado de R$ 370 mil, após ter recebido o benefício.

No caso julgado, a defesa de Lamas alegou que a extinção da pena de prisão também vale para afastar a continuidade do pagamento da multa. No entanto, seguindo voto proferido pelo relator do caso, ministro Luís Roberto Barroso, o STF entendeu que a multa deve ser paga integralmente, mesmo após o indulto, porque o condenado optou por parcelar o valor definido na condenação, uma das condições para progredir de regime de prisão.

No julgamento do mensalão, Lamas foi condenado pelo STF a cinco anos de prisão em regime semi-aberto por lavagem de dinheiro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade