Ex-gerente da Transpetro é preso em nova fase da Operação Lava-Jato

O ex-gerente e seus familiares são suspeitos de negociar o recebimento de R$ 7 milhões em propinas pagas por empresa de engenharia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/11/2017 07:40 / atualizado em 21/11/2017 11:09

Ed Alves/CB/D.A Press

O ex-gerente da Transpetro José Antônio de Jesus foi preso pela Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (21/11) na 47ª fase da Operação Lava-Jato. A PF investiga os repasses ilegais de uma empreiteira a um funcionário da Transpetro, uma subsidiária da Petrobras, informou a PF em comunicado. Ao todo, foram expedidos 14 mandados judiciais em cidades da Bahia, Sergipe, Santa Catarina e São Paulo. A atual fase foi batizada de Sothis.

 

O ex-gerente e seus familiares são suspeitos de negociar o recebimento de R$ 7 milhões em propinas pagas por empresa de engenharia. O valor, segundo o Ministério Público Federal (MPF), foi pago mensalmente em benefício do Partido dos Trabalhadores (PT). Os valores teriam sido recebidos entre setembro de 2009 e março de 2014. As investigações começaram após a colaboração premiada dos executivos da empresa investigada. De acordo com a PF, há provas que indicam que o ex-gerente recebeu suborno para favorecer a empresa em contratos com a Transpetro. 

Leia mais notícias em Política 

 

 

Para ocultar a origem ilícita dos recursos, o valor foi pago por meio de depósitos realizados em contas bancárias de terceiros e familiares, vindo de contas da empresa de engenharia e/ou de seus sócios. Os investigados responderão pela prática dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro dentre outros.  José Antônio de Jesus foi levado para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

 

 

 

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.