Polícia Federal cumpre mandados de condução coercitiva na UFMG

Investigação apontou desvios na verba destinada para pesquisas e construção de áreas destinadas a exposições. Reitor estaria entre os alvos da ação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/12/2017 12:26 / atualizado em 06/12/2017 12:36

Marcos Michelin/EM/D.A Press


Viaturas da Polícia Federal foram até o campus central da Universidade Federal de MInas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, para cumprir mandados de busca e de condução coercitiva, nesta quarta-feira (06). A ação faz parte da Operação Esperança Equilibrista, que apura a não execução e o desvio de recursos públicos destinados à construção do Memorial da Anistia Política do Brasil, financiado pelo Ministério da Justiça e executado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Informações preliminares indicam que entre os alvos de condução coercitiva está o reitor da instituição, Jaime Arturo.

De acordo com informações da investigação, teriam sido destinados R$ 19 milhões para a construção de áreas de exposições e pesquisas de conteúdo. No entanto, apenas um prédio teve a obra iniciada e ainda está inacabado. De acordo com a PF, pelo menos R$ 4 milhões teriam sido desviados por meio de fraudes em pagamentos repassados a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep).

Além do reitor, a vice-reitora da Universidade também seria sido condizida a depor por volta das 10 horas da manhã. A ação causou repercussão nas redes sociais, principalmente entre grupos estudantis e políticos. Até o momento a PF não informou se pretende divulgar mais informações sobre o caso. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.