Jornal Correio Braziliense

Petrobras recupera mais de R$ 650 milhões na Operação Lava-Jato

Segundo o Ministério Público Federal, essa é a maior quantia já devolvida em uma investigação criminal

Hellen Leite
Somando os dois valores já devolvidos à estatal até o momento, o ressarcimento passará de R$ 1,4 bilhão - Foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press
A Petrobras informou que vai receber cerca de R$ 650 milhões recuperados da Lava-Jato. O valor foi readquirido por meio de acordos de colaboração e de leniência celebrados durante as investigações da Operação. De acordo com os Ministério Público Federal (MPF), esta será a maior quantia já devolvida em uma investigação criminal no país de uma vez só.

Segundo a Petrobras, ao menos R$ 800 milhões já tinham sido recuperados no esquema de corrupção investigado pela operação. Somando os dois valores já devolvidos à estatal até o momento, o ressarcimento passará de R$ 1,4 bilhão. 

Lava-Jato


Os crimes já denunciados ao MPF envolvem pagamento de propina no valor de R$ 6,4 bilhões. Mais de dez bilhões são alvo de recuperação por acordos de colaboração, sendo R$ 756,9 milhões objeto de repatriação e R$ 3,2 bilhões em bens bloqueados dos réus.

Leia as últimas notícias de Política

Desde o início da operação, que começou a ser deflagrada em março de 2014, 1.765 procedimentos foram instaurados, sendo 881 mandados de busca e apreensão, 222 de condução coerctiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento, 101 de prisões preventivas, 111 de prisões temporárias, além de seis prisões em flagrante.

Também foram feitos 340 pedidos de cooperação internacional, sendo 201 ativos para 41 países e 139 passivos com 31 países. 158 acordos de colaboração premiada foram firmados com pessoas físicas, além de 10 acordos de leniência e um termo de ajustamento de conduta. Foram feitas 67 acusações criminais contra 282 pessoas. Das acusações, 37 já tiveram sentença pelos crimes de corrupção, tráfico transnacional de drogas, organização criminosa, lavagem de ativos, crimes contra o sistema financeiro internaciol, entre outros. Com isso, até então há 177 condenações contra 113 pessoas que somam 1.753 anos e sete meses de penas.