Aécio diz que será candidato ao governo de Minas ou ao Senado em 2018

Aécio disse ainda que não teme ser condenado em qualquer um dos nove inquéritos contra ele no Supremo tribunal Federal (STF)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/12/2017 09:10 / atualizado em 15/12/2017 09:19


AFP / Sérgio Lima
 
O senador Aécio Neves Neves  (PSDB) admitiu pela primeira vez, nesta sexta-feira (15/12), que vai disputar as eleições no ano que vem. Ele afirmou que irá concorrer à reeleição ao Senado ou  tentar voltar ao cargo de governo de Minas Gerais.

De acordo com o senador, a definição só deverá acontecer após conversa  com "as forças políticas" que o  apoiam.  Ele não definiu data para esse anúncio. "Mas o Senado é o caminho natural", adiantou.
 

A declaração de Aécio Neves, na manhã desta sexta-feira (15/12), em entrevista à rádio Itatiaia, acontece na semana seguinte à perda do cargo de presidente  nacional do PSDB. O governador de São Paulo e pré-candidato a presidente da República, Geraldo Alckmin, foi eleito no sábado passado (9/12) presidente do partido.

Confiança


Aécio disse ainda que não teme ser condenado em qualquer um dos nove inquéritos contra ele no Supremo tribunal Federal (STF). "Em hipótese nenhuma", reagiu  ao ser perguntado sobre o assunto.O senador justificou que não pesa contra ele nenhuma conduta ilícita. 

"Dizem respeito (inquéritos), sem exceção, a financiamentos de campanhas eleitorais. Há uma coisa em comum em relação àqueles que fazem referência ao meu nome: todos dizem que em relação ao senador e ao governador Aécio nunca houve contrapartida e favorecimento a quem quer que fosse e eles deram ajuda  em minas campanhas eleitorais porque acreditavam no nosso projeto. De forma distinta, é o que a totalidade deles dizem", disse o senador em sua defesa.

Mandato


Em maio deste ano, o senador mineiro chegou a ser afastado do mandato por ordem do ministro Edson Fachin, do STF. A sentença do magistrado está relacionada ao empresário Joesley Batista, que, juntamente com o irmão Wesley, está presos desde setembro deste ano.

Segundo a investigação da Polícia Federal, os irmãos Batistas, donos da JBS, um dos braços da holding J&F, se beneficiaram de informações relacionadas ao acordo de colaboração premiada firmado com a Procuradoria-Geral da República (PGR) para obter lucro no mercado financeiro.

O senador Aécio Neves foi flagrado em escuta telefônica pedindo R$ 2 milhões a Joesley. "Exerço mandatos públicos há mais de 30 anos e, com uma série de inquéritos, não tinha recursos para constituir a minha defesa. Não me envergonho disso e aceitei uma proposta de empréstimo de um cidadão a quem eu tinha oferecido um apartamento  de propriedade minha família", justificou o senador. "Isso não me desonra", disse, acrescentando que esse valor não se trata de dinheiro público, mas a um empréstimo privado.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.