Publicidade

Estado de Minas

Confiança em Temer sobe, mas continua abaixo de 10%, mostra CNI/Ibope

Índice de confiança subiu de 6%, em setembro, para 9%. Os que consideram o governo Temer ótimo ou bom foram de 4% para 10% no mesmo período


postado em 20/12/2017 11:10 / atualizado em 20/12/2017 12:06

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Pesquisa do Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), apresentada na manhã desta quarta-feira (20/12), mostra melhora nos índices de aprovação e confiança ao governo de Michel Temer, embora as taxas continuem baixas.
 
O percentual de brasileiros que avaliam o governo como ótimo ou bom cresceu de 4%, em setembro, para 10%, em dezembro, segundo a sondagem. Já os brasileiros que dizem confiar no presidente Michel Temer foram de 6% para 9% no período.


A pesquisa mostra ainda que a avaliação do governo é pior entre as pessoas com renda familiar de até um salário mínimo. Nesse grupo, 79% avaliam o governo como ruim ou péssimo e 13% como regular. 
 
O gerente-executivo de pesquisa e competitividade da CNI, Renato Fonseca, destaca que os indicadores de popularidade do governo mostram que a população ainda não sente melhora na economia no país. Para Fonseca, se o efeito gradual da recuperação econômica começar a ser notado pela população, a popularidade do presidente deve subir. 

 
Reforma da Previdência 

 
"A percepção do noticiário sobre o governo influencia nisso. Quando olhamos as notícias mais lembradas pela população, aparecem a reforma da Previdência, com 19%, e notícias sobre corrupção no governo, com 12%, seguidas pela operação Lava-Jato, com 6%”, aponta.

O levantamento mostra também que o governo do presidente Temer é melhor avaliado entre homens e pessoas com 55 anos ou mais. "Essa melhora pode ser atribuída ao fato se esse grupo conter o maior percentual de pessoas aposentadas no país", analisa Fonseca.

 
59% consideram Dilma melhor 

 
Para o restante do mandato, 69% dos entrevistados acreditam que será um governo péssimo ou ruim, contra 7% que acham que será ótimo ou bom e 20% que esperam um desempenho regular. Em comparação ao primeiro mandato do Governo Dilma, a pesquisa mostra que 59% dos participantes acham que o governo atual é pior, 30% avaliaram como igual e 10% como melhor. 
 
* Estagiária sob supervisão de Humberto Rezende 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade