Publicidade

Estado de Minas

"Papai, eu aceito", diz Cristiane Brasil ao ser convidada para ministério

Roberto Jefferson ligou para a filha durante a conversa com o presidente Temer. Após o encontro, chorou, afirmando que é o "resgate da imagem da família"


postado em 03/01/2018 17:18 / atualizado em 03/01/2018 17:37

(foto: Reprodução/Facebook / Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Reprodução/Facebook / Ed Alves/CB/D.A Press)

 
O presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson, chorou nesta quarta-feira (3/1) ao confirmar que a filha, deputada Cristiane Brasil, será a nova ministra do Trabalho do governo Temer. Condenado a sete anos e quatorze dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do mensalão, Jefferson foi beneficiado por um indulto em março de 2016. "Mais do que orgulho, é um resgaste da história da família", disse ele, aos prantos, em entrevista a jornalistas. Neste ano, o delator do mensalão concorrerá a um cargo de deputado federal pelo PTB de São Paulo.


Jefferson garantiu que, ao reunir-se nesta quarta-feira com o presidente Michel Temer, não levava na cabeça o nome da filha para assumir a pasta. "Tínhamos três nomes em men. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, apresentou como sugestão outro nome, do Paraná. No meio da conversa, o presidente (Temer) me indagou: e por que não a Cristiane? Ela é experimentada, foi secretária municipal de diversos governos", explicou. Segundo o petebista, a proposta o pegou de surpresa. “Tenho que ligar para ela, porque ela é candidata. Fiz isso e ela, prontamente, respondeu: papai, eu aceito!", detalhou Jefferson, orgulhoso.

O presidente do PTB disse, ainda, que o líder Jovair Arantes também não colocou impedimentos. A posse está marcada para terça ou quarta da semana que vem. Jefferson também garantiu que o veto ao nome de Pedro Fernandes para substituir o ministro Ronaldo Nogueira é coisa do passado. "Chegamos ao nome do Pedro porque ele é um baita parlamentar, passou pela vida pública sem máculas e não seria candidato à reeleição. Mas isso agora passou”.

O petebista disse que o presidente está bem disposto, embora mais magro e com a voz meio "surdinada". "É como quando você coloca uma surdina na ponta do trompete". Ele disse considerar isso natural, já que Temer passou por três cirurgias em 40 dias. "Não posso dizer que ele é um homem de idade provecta. Mas também não é mais um garoto”, completou Jefferson.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade