Marchinha de carnaval faz crítica a Bolsonaro: 'É melhor Jair embora'

Composição da Orquestra Royal para o carnaval 2018, 'Bolsomico', condena posições polêmicas do deputado federal e pré-candidato à presidência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/01/2018 12:08 / atualizado em 08/01/2018 12:39

Reprodução Youtube

O carnaval de Belo Horizonte ganhou fama nos últimos anos. Com ele, sugiram vários blocos de rua, além da Orquestra Royal, grupo responsável por compor marchinhas que têm conquistado os foliões. Conhecidos por sempre incorporarem um "espirito" com 'veia' política e de protesto, em 2018 eles não fizeram diferente e lançaram 'Bolsomico', a primeira marchinha para o carnaval que acontece no início de fevereiro.
 

A composição divulgada nesta segunda-feira, (8/1), faz crítica ao deputado federal e pré-candidato à presidência da república, Jair Bolsonaro. Na letra, os compositores falam sobre posições políticas bastante polêmicas defendidas pelo parlamentar como a intervenção militar. 

"Tem que ter QI de mico pra ficar lambendo bota de de milico. Cérebro de periquito pra chamar esse boçal de mito. Memória de tanajura pra dizer que nunca houve ditadura. Cabeça de camarão pra querer voltar pros tempos da inquisição", diz a primeira estrofe. 

A música continua com a frase: "É melhor Jair, Jair embora, sair correndo para a aula de história' e finaliza pedindo para que ele leve junto o prefeito de São Paulo, João Dória, e a "turma de idiotas" MBL, Crivela e Alexandre Frota. 

O grupo Orquestra Royal ficou conhecido em 2012 depois de lançar a marchinha Coxinha da madrasta, que fazia crítica ao então presidente da Câmara de Vereadores de Belo Horizonte, Léo Burgues. 

Nos anos seguintes eles lançaram Imagina na Copa, Baile do Pó Royal, Rejeitados de Guarapari, Prefeito, libera o cooler e Não enche o saco do Chico. 
 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.