Publicidade

Estado de Minas

"Principal hipótese é falha humana", diz PF sobre queda de avião de Teori

Investigação ainda não foi concluída, mas não encontrou indícios de atentado contra a aeronaves que levava o ministro


postado em 10/01/2018 12:24 / atualizado em 10/01/2018 15:52

Destroços da aeronave acidentada próximo a Ilha Rasa em Paraty(foto: Fábio Motta/Estadão)
Destroços da aeronave acidentada próximo a Ilha Rasa em Paraty (foto: Fábio Motta/Estadão)
 

O delegado federal Rubens Maleiner, presidente do inquérito que investiga a queda do avião que matou o ministro Teori Zavascki, do Superio Tribunal Federal (STF), afirmou nesta quarta-feira (10/1) que "a hipótese principal para a queda da aeronave é a de falha humana". De acordo com o delegado, a hipótese de atentado foi "largamente analisada, mas nenhum indício foi encontrado neste sentido".
 

A Polícia Federal está no final da investigação e entregou à ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, um relatório com o que foi descoberto até agora. "Existem diversos fatores que provocaram a queda. Mas a principal linha de investigação aponta até agora para as condições meteorológicas e a altura que o piloto manteve a aeronave na região de Paraty", afirmou Maleiner.

O avião que levava o ministro Teori Zavascki caiu em 19 de janeiro do ano passado, na região de Paraty, no Rio de Janeiro. Zavascki era responsável pelos inquéritos da Operação Lava-Jato na Suprema Corte.
 
Ver galeria . 9 Fotos Teori Zavascki, ministro do STF e Relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) morreu na tarde de quinta-feira (19/1/2017), aos 68 anos, após a queda de avião em Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro.José Cruz/Agencia Brasil
Teori Zavascki, ministro do STF e Relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) morreu na tarde de quinta-feira (19/1/2017), aos 68 anos, após a queda de avião em Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro. (foto: José Cruz/Agencia Brasil )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade