Publicidade

Estado de Minas

Lula fará ato político em Porto Alegre, um dia antes do seu julgamento

Ex-presidente afirmou que não pode "ser deixado de lado em uma disputa política porque os que não gostam de mim não querem que eu seja candidato"


postado em 22/01/2018 18:56 / atualizado em 22/01/2018 19:09

Julgamento do ex-presidente no Tribunal Regional Federal da 4ª Região está marcado para a quarta-feira (foto: AFP/MAURO PIMENTEL )
Julgamento do ex-presidente no Tribunal Regional Federal da 4ª Região está marcado para a quarta-feira (foto: AFP/MAURO PIMENTEL )


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou, durante conversa com sindicalistas na sede do Instituto, que estará presente, nesta terça-feira (23/1), em Porto Alegre no ato que será realizado na Esquina Democrática. O evento político encerrará uma série de atividades que começarão logo cedo, na Assembleia Legislativa Estadual, com a presença da ex-presidente Dilma Rousseff. A ideia é reforçar o discurso de que "eleições sem Lula é golpe contra a democracia."

Leia as últimas notícias de Política
 
O julgamento do ex-presidente no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (Porto Alegre) está marcado para a quarta-feira (24/1). A expectativa é de uma condenação por 3 votos a 0. Neste dia, Lula vai participar de um ato promovidos pelas centrais sindicais, movimentos sociais e partidos políticos em São Paulo, provavelmente na Praça da República, embora ainda sigam acontecendo embates com o Ministério Público paulista.
 
Durante um encontro com representantes de centrais sindicais, na sede do Instituto Lula, em São Paulo, o ex-presidente confirmou a ida até a capital gaúcha. "Amanhã eu estou indo a Porto Alegre. Vou lá participar das mobilizações que vão ocorrer, encontrar com quem me apoia e quer minha candidatura. Eu não posso ser deixado de lado em uma disputa política porque os que não gostam de mim não querem que eu seja candidato. Nós estamos vivendo um pesadelo. O meu futuro é muito curto, pois não tenho mais 20 anos. Então tenho que correr atrás de garantir as conquistas que já alcançamos", afirmou ele. 

O julgamento


O governo gaúcho prepara uma operação especial a partir desta terça-feira na capital. Ao meio-dia, vários órgãos públicos localizados no perímetro de 2 km do entorno do tribunal terão seu expediente encerrado com retorno previsto apenas na quinta-feira. As avenidas em volta do local serão fechadas às 17h desta terça-feira e o trânsito, nas imediações, também só voltará à normalidade depois do julgamento. A segurança terá reforço de todas corporações e, inclusive, atiradores de elite.
 
Nesta segunda-feira (22/1), o secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer, anunciou os preparativos para garantir que as manifestações em defesa do ex-presidente e a favor da condenação de Lula sejam pacíficas. “Democracia pressupõe liberdade. Vamos assegurar que as manifestações sejam realizadas dentro dos princípios constitucionais”, disse. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) fechou um acordo com movimentos sociais para delimitar os espaços de atos e de acampamento das caravanas.

*Colaborou Simone Kafruni.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade