Reportagem sobre a alta taxa de impostos no país premia jornalista da PB

Matéria de Danilo Alves, da TV Cabo Branco, em João Pessoa, é a grande vencedora na categoria Imprensa do Prêmio Nacional de Educação Fiscal 2017

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/12/2017 19:09 / atualizado em 04/12/2017 22:31

Luís Nova/Esp.CB/D.A Press

 
Na recém-incorporada categoria Imprensa, duas reportagens chegaram à final. A alta taxa de impostos não é percebida por muitos consumidores, da TV Cabo Branco, afiliada da TV Globo de João Pessoa, assinada pelo jornalista Danilo Alves, e Crianças aprendem seus direitos e ajudam o país, publicada no Jornal Stylo, de Tocantins, escrita pela jornalista Janete Gomes.

A campeã foi a reportagem feita por Danilo Alves, 29 anos, que mostrou como os consumidores podem acompanhar a alta taxa de impostos nas notas fiscais. No vídeo, o repórter visitou um supermercado, conversou com donas de casa, ouviu especialistas sobre os vultosos tributos pagos, que não são revertidos na mesma proporção. De acordo com a apuração do jornalista, um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) revelou que, no ano passado, os brasileiros pagaram o equivalente a 33,4% do Produti Interno Bruto (PIB)em taxas e impostos. Em toda a América Latina, é a maior carga tributária. 

A matéria mostrou um placar colocado em uma das ruas mais movimentadas de João Pessoa, chamado ‘Impostômetro’, com cifras desproporcionais. De acordo com o ‘Impostômetro”, entre janeiro de 2017 e o dia da filmagem (15/09), os brasileiros já haviam pagado mais de R$ 1,5 trilhão em impostos. 

Para Danilo, boa parcela da sociedade é desinformada sobre o assunto. “Todos pagam impostos, mas poucos sabem o quanto e o porquê”, afirma. Nesse viés, a reportagem procurou esclarecer à população onde estão embutidos os impostos, qual a carga municipal, estadual e federal e sugerir maneiras de melhor empregar o que se arrecada com os tributos. 

Segundo o jornalista, várias perguntas foram levantadas para explicar a alta taxa dos impostos. “Quase todo mundo reclama da alta carga tributária do nosso país, mas onde estão esses impostos? Quais os produtos e serviços mais tarifados? Como saber quanto de fato eu pago de imposto? Onde? Como? O que é feito com esse dinheiro? O que pode ser feito para que a carga tributária seja mais justa e os seus benefícios melhor empregados no retorno ao povo?”, questiona.

Exibido no Telejornal da Paraíba (JPB), 1ª Edição, do dia 16 de setembro, o material contou com o trabalho de Thiago Ferreira (cinegrafista), Dario Santana (assistência), Zuila David (produção), Débora Cristina Barbosa (edição de texto) e Gilson Marques (edição de vídeo).



Multiplicadores


A matéria Crianças aprendem seus direitos e ajudam pais, da jornalista Janete Gomes, 43 anos, publicada no Jornal Stylo, de Palmas, capital de Tocantins, reforça a importância de as crianças serem preparadas, desde cedo, para exercer a cidadania. Uma delas, mostrada na reportagem, preocupa-se em exigir o documento para comprovar a compra do produto e para assegurar que os impostos serão recolhidos.

A repórter ouviu profissionais das áreas de educação, psicologia e da Receita estadual. Na avaliação dos especialistas, é preciso contar com o envolvimento da população na exigência de documentos fiscais e na fiscalização dos investimentos.

A jornalista, piauiense de nascimento, se considera uma cidadã de Tocantins de coração. “Moro há 20 anos em Palmas, cidade que escolhi e me acolheu após me formar em jornalismo pela Universidade Federal do Piauí.”

De acordo com a jornalista, a reportagem reflete o poder da educação fiscal na formação de cidadãos ativos. “Quando as crianças são bem instruídas, reforçam isso na família, ampliando o exercício pleno da cidadania”, acredita Janete.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.