Alunos aprendem que material escolar é pago pela família de todos

Projeto trata das questões de forma lúdica, atrativa e reflexiva, destacando a função social dos tributos e a importância da participação popular

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/12/2017 06:00 / atualizado em 04/12/2017 22:39

Luís Nova/Esp. CB/DA Press


Mais de 12 mil estudantes capacitados como agentes disseminadores de Educação Fiscal e 90 professores treinados. Esse é o resultado do trabalho realizado neste ano pela Secretaria Municipal de Educação de Maringá, cidade localizada a 436 quilômetros da capital paranaense, Curitiba.

À frente do programa está a professora Cinthia Chiqueto Rodrigues de Andrade, 46 anos. “O projeto enfrenta os desafios atuais na formação cidadã das crianças e jovens que, a cada dia, vêm se desinteressando pelo espaço público”, avalia. 

Para a professora, escândalos políticos e crises econômicas criam a percepção coletiva de que tudo o que é público não tem dono, é ineficiente e pode ser usado para interesses privados. “Nesse viés, começamos mostrando que as carteiras, o quadro-negro e o material escolar são pagos pelas famílias de todos”, explica. Outras ações pontuais do projeto procuram reverter essa imagem nas quais os temas são abordados de forma ampla e consciente.  

Por isso, Cinthia considera essencial debater questões atuais para a formação da consciência cidadã. “Sempre trazemos temas voltados ao conhecimento e ao esclarecimento sobre a importância dos tributos, o papel enquanto eleitores e fiscais do processo de arrecadação, da distribuição e aplicação dos tributos, do portal da transparência e das prestações de contas à população de nosso município”, enumera. 

Os alunos visitam a Prefeitura Municipal e os estabelecimentos comerciais do bairro para conhecer todo o processo na prática. “Na outra ponta, os professores são treinados por auditores da Receita Estadual”, esclarece Cinthia.

O projeto trata das questões de forma lúdica, atrativa e reflexiva, destacando a função social dos tributos e a importância da participação popular e cidadã no controle sobre os gastos públicos, visando à aplicação honesta e transparente dos tributos. “Nossa intenção é formar políticos melhores para nosso país no futuro e cidadãos conscientes de seus direitos e deveres”, afirma.

Para a secretária de educação de Maringá, Valkíria Trindade Santos, ser finalista nesta premiação coloca a Secretaria entre as instituições mais comprometidas em contribuir com a educação integral de seus alunos e com a conscientização da população maringaense em relação ao tema. Também é um incentivo para que o projeto continue. 

Arrecada muito e faz pouco

Sete em cada dez brasileiros concordam que a baixa qualidade dos serviços públicos se deve mais à má gestão dos recursos do que à falta deles. Pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que 81% dos brasileiros acreditam que o governo já arrecada muito e não precisa aumentar os impostos para melhorar os serviços públicos.

Menos gastos


Para 84% das pessoas, os impostos são muito elevados e, para 80% dos entrevistados, o governo deve reduzir as despesas atuais. Entre os que recomendam o corte de gastos, a prioridade deve ser reduzir o custeio da máquina pública e os salários dos servidores.

A saúde e a segurança têm as piores avaliações entre os 13 serviços analisados. Os mais bem avaliados foram o fornecimento de energia elétrica e os Correios.


Onde fica
Secretaria Municipal de Educação de Maringá (Seduc)
Projeto: Educação Fiscal e os atuais desafios na formação cidadã
Maringá (PR)




Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.