[an error occurred while processing this directive] Mapeando passos - Revista do Correio - Correio Braziliense

PHOTO & GRAFIA

Mapeando passos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/01/2015 08:00 / atualizado em 23/01/2015 17:30

Zuleika de Souza


Um jeito de viver Brasília intensamente é caminhar ou pedalar. Desde o ano passado, pedestres e ciclistas contam com a ajuda dos totens de sinalização com mapas. Agora, quando os caminhantes chegam às Superquadras, logo veem onde estão, qual é o bloco, se tem metrô, parada de ônibus, passagens subterrâneas, supermercado, igreja, biblioteca, escola, comércio local, banca de jornal, além de um mapa inteiro do Plano Piloto.

Na área central, o mapa mostra os monumentos e tudo o que existe ao longo do Eixo Monumental, dividido entre a Igreja Rainha da Paz e a rodoviária, e dela até o quartel dos bombeiros. Os totens fazem parte do projeto de placas indicativas criado por Danilo Barbosa na década de 1970. O arquiteto continua comandando a equipe que atualizou a cartografia brasiliense. Essa sinalização, tão característica da cidade, faz parte do acervo permanente do MoMA, em Nova York, sabia?

Nesses dias muito quentes, caminhar pelas asas, sob a sombra das árvores, e descansar olhando os desenhos de cada quadra, todas diferentes, pode ser como visitar um grande museu a céu aberto.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Floriano
Floriano - 25 de Janeiro às 14:51
Eu disse que mapear Brasília usando fotos aéreas velhas (desatualizadas) seria possível.. O General Barreto, Diretor da Diretoria do Serviço Geográfico (Exército), resolveu mapear Brasília para homenagear os cento e cinquenta anos da nossa Independência (1972); só que as fotos eram de uns quinze anos atrás. Brasília já era outra coisa. Usamos as fotos velhas e eu em quarenta e cinco dias revisei e atualizei todo o terreno desenhando à mão. (Isso não existe em cartografia). Estive com o Lúcio Costa, tirei dúvidas e ele me disse que uma asa do avião é torta. Depois veio a moedinha de um Real ((ou Cruzeiro?) com meu trabalho lá. O atual "mapa" (carta) ainda é aquela de setenta e dois. Bons tempos.