ENCONTRO COM O CHEF

Churrasco com várias nacionalidades

Chef Alexsandro Panta une as tradições argentina, uruguaia e brasileira no preparo das delícias do restaurante Toro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/02/2015 08:00 / atualizado em 12/02/2015 16:54

Rafael Campos

Na minha primeira viagem a Buenos Aires, eu me lembro de guardar as malas e descer imediatamente para a rua. Estava hospedado em Palermo Viejo e tinha recebido a indicação de uma casa que, infelizmente e com dor no coração, acabei esquecendo o nome. Porém, jamais esquecerei o quanto comi. Até então, nunca havia ido a um restaurante exclusivamente argentino e não me fiz de rogado: entre cortes dos mais variados e duas garrafas de vinho, tive um exagero que me custou uma noite na cidade, já que não consegui fazer mais nada após tanta comilança. Contudo, não há arrependimento algum na troca que fiz.

Em Porto Alegre, a mesma situação. Visitando um amigo, chegamos a uma churrascaria tipicamente gaúcha. Além do rodízio, que nasceu na Região Sul na década de 1960, os acompanhamentos que não podem faltar na cozinha deles: polenta, salada de maionese e arroz. Resultado? Uma tarde inteira daquele sono que acomete os que comem demais. Tive uma reação parecida ao visitar o restaurante Toro. Lá, as tradições argentinas e uruguaias se unem ao que faz o sucesso do churrasco gaúcho. E isso envolve não somente cortes de qualidade, mas porções fartas de pratos que acompanham para assegurar que ninguém saia de lá com fome.

O chef Alexsandro Panta garante que a mistura de influências é simples porque há muitas semelhanças entre as culinárias. "Isso faz com que não seja difícil para nós trabalharmos os pratos das três regiões. Afinal, todos gostam de carne." Ele explica que a grande diferença está no ponto: enquanto muitos brasileiros dão valor ao bem passado, isso não acontece entre os churrasqueiros dos outros dois países. "O ponto argentino é, para nós brasileiros, algo que consideramos malpassado. É muito raro conhecer um argentino ou uruguaio que goste de carne bem passada."



Receitas para acompanhar o bife de chorizo de 600g:

Dica para comprar o bife de chorizo:verifique se a carne tem sangue e está vermelha, e repare se a gordura está vistosa e sem a presença de nervos.

Arroz Parrilleiro

Ingredientes:
200g de arroz branco cozido
150g linguiça suína picante (pré assada na parrilla)
200g de batata palha
3 ovos
1 colher de sopa de açafrão
100g de manteiga
1/2 cebola picada
cebolinha e salsinha a gosto
alho e sal a gosto

Modo de preparo:

Numa panela em fogo médio, coloque a manteiga, a cebola e o alho. Refogue por cerca de um minuto e depois acrescente a linguiça, os ovos e o açafrão. Refogue por mais um minuto e depois acrescente o arroz, a salsinha e a cebolinha e acerte o sal. Na hora da montagem, coloque o arroz em uma tigela, cubra com batata palha e está pronto para servir.

Rendimento: 2 porções
Tempo de preparo: 10 min

Salada Juliana

Ingredientes
1/2 cebola picada
200g de palmito picado
150g de alface americana (cortada em Juliene)
200g de batata palha
1 tomate picado sem sementes
150g de queijo grana padano

Para o molho:
50g de maionese
20g de mostarda

2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de vinagre
1 pitada de pimenta calabresa


Modo de preparo do molho: misture todos os ingredientes

Modo de preparo da salada:
Junte a alface, o tomate, a cenoura e o palmito, misture tudo com o molho e, na hora de montar, coloque a batata palha e o grana padano por cima.

Rendimento: 2 porções
Tempo de preparo: 10 min

Maionese de batatas

Ingredientes
3 batatas inglesas médias cozidas
150g de maionese
Sal, salsinha a gosto

Modo de preparo: corte as batatas em pequenos cubos, misture a maionese e acerte o sal. Use a salsinha para decorar.

Rendimento: 4 porções
Tempo de preparo: 10 min
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.