CASA

Obra-prima de morar

A construção da casa dos sonhos não precisa ser dispendiosa. O artista Nicodemus Farias mostra como planejou sua residência para ser bela, barata e integrada à natureza

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/03/2015 08:00 / atualizado em 05/03/2015 16:26

Zuleika de Souza/CB/D.A Press
 

Artista plástico autodidata e professor, Nicodemus Farias, 54 anos, decidiu dar um tempo nas esculturas para imergir em um sonho. Um terreno comprado há 15 anos foi o seu ponto de partida. A vontade de ficar mais perto da natureza foi o combustível. A falta de profissionais que entendessem a sua necessidade foi o empurrão para começar um estudo de referências arquitetônicas para o projeto do novo lar. Foram três anos observando ambientes que frequentava, contando metragens com passos, consultando mestres de obras, comprando livros, revistas, garimpando mercados e lojas de móveis até chegar ao ideal. No meio do cerrado, surgiu uma casa que se mistura à paisagem. A ausência de paredes combinada com a grande área envidraçada e os piers dão a sensação de estar em um mosteiro, tamanha a tranquilidade. "Esperei o melhor momento e o resultado foi uma casa sustentável e econômica", explica Nicodemus. Ele abre as portas para a Revista do Correio e revela alguns segredos do projeto.

Teto
"O teto tem que ser de material leve e resistente, para que a estrutura da casa aguente. Então, optei pelo telhado de fibrocimento. É rápido para montar, tem tratamento contra cupim e só possui duas abas, por causa do seu tamanho. Para prevenir goteiras, foi construído um forro de MDF — material mais barato — e distribuída uma manta aluminizada, que também ameniza o calor."

Cômodos
"Em todos os cômodos optei em colocar portas em vez de janelas. Por conta disso, consegui ampliar a casa e construir piírs em volta, que servem como varandas. Isso ilumina mais os ambientes."

 

Estrutura

Zuleika de Souza/CB/D.A Press

"A estrutura da casa é toda suspensa, erguida sob pilares distribuídos a cada três metros. O material usado é o eucalipto de reflorestamento Amaru. Fiz questão de calcular a quantidade certa para a casa inteira, isso gera uma economia no alicerce e menos entulho. A técnica também possibilita que a parte elétrica e hidráulica fique por baixo do piso, facilitando a manutenção."

 

Paredes
"A pouca quantidade de paredes também gerou economia. Encontrei o tijolo de concreto celular, que proporciona isolamento termoacústico. Como o comprei em peças grandes, consegui um reboco pequeno e o acabamento em taipa de pilão possibilitou baratear o custo. A tinta é um tipo ‘acimentada’, que adere mais nesse tipo de material e é mais barata."

Cozinha

Zuleika de Souza/CB/D.A Press

"A cozinha foi desenhada pela filha da minha mulher. Ela não usou armários em cima, somente gavetas para facilitar o acesso. Combinou o projeto com uma miniárea de serviço embutida, para auxiliar dentro da casa."

 

Massa caseira

Trata-se de uma mistura de terra, extraída de um local próximo ao da construção, com pequenas pedras, seixos rolados, água, palha e cal — tudo batido em formas de madeira. A técnica originou-se nos países europeus e no norte da África. Atualmente, é muito usada na arquitetura contemporânea.

Decoração

"Tudo o que tem na casa ou fomos nós que criamos, ou achamos em mercados e promoções. Fomos atrás de artigos que combinassem e estivessem em um preço bom. Além disso, temos obras minhas e de amigos."

Paisagismo

Zuleika de Souza/CB/D.A Press

"Eu mesmo quem fiz o projeto de paisagismo. Respeitei a vegetação original, só retirei as árvores para o espaço da casa. Para irrigar a área do jardim, que é grande, criei um sistema de mangueiras que saem de uma válvula e esguicham água por um tempo e quantidade determinadas. Dessa forma, não tenho desperdício de água."

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.