Estilo

Aposentadoria das modelos?

As grifes internacionais estão contratando escritoras, cantoras e atrizes, de 50 a 80 anos, para estrelar campanhas publicitárias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/03/2015 08:00 / atualizado em 06/03/2015 15:46

Olívia Meireles - Especial para o Correio /Especial para o Correio

No início do ano, a comunidade da moda entrou em um grande frenesi quando a grife francesa Céline divulgou a campanha publicitária da coleção de verão. Em vez de escalar Daria Werbowy — a modelo loira, alta e polonesa, que costuma contratar como rosto da marca —, escolheu a escritora Joan Didion, 80 anos. A imagem simples registrada pelo fotógrafo Juergen Teller retrata a americana sentada em um sofá com uma camisa preta de gola rolê, um pingente dourado no pescoço e belos óculos escuros. Apesar do custo de produção ter sido baixo, a repercussão foi gigantesca. Pois a história profissional da autora prevaleceu sobre qualquer efeito especial ou corpo escultural. "Eu não fazia ideia de que a parceria faria tanto sucesso", ela falou ao jornal New York Times.

A tendência de valorização de garotas-propaganda com perfis interessantes está se espalhando entre várias marcas. A indústria da moda, julgada por disseminar um padrão de beleza inalcançável, há algumas temporadas tem substituído as típicas modelos por mulheres mais velhas e cheias de personalidade. O ápice chegou em janeiro, na Europa, com o lançamento das novas coleções. "Esse tipo de anúncio é importante não apenas por valorizar uma pessoa mais velha, mas também por celebrar uma pessoa inteligente e bem sucedida", escreveu a jornalista Rachel Cooke no periódico The Guardian. Escritoras, cantoras e atrizes, de 50 a 80 anos, roubaram os empregos das tradicionais adolescentes magrelas e dominaram as páginas comerciais das revistas de moda.

Internet/Reprodução

A Givenchy também contratou o duo para registrar Julia Roberts, 47 anos, sem maquiagem e cabelo ao natural, para ilustrar campanha da nova coleção. "Não queria glamour. Busquei apresentar uma campanha honesta", explicou Ricardo Tisci, diretor criativo da grife. "Roberts tornou-se uma das poucas atrizes que não tem a vida privada exposta em redes sociais e, por ter um estilo de vida menos exibicionista, se relaciona muito com bem com a cliente da minha marca. Melhor do que qualquer modelo", concluiu.

A matéria completa para assinantes está aqui. Para assinar, clique aqui.



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.