CASA

Ponto de encontro gourmet

Ter uma ilha na cozinha torna o ambiente mais aconchegante e charmoso, além de ampliar o espaço para armários

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/03/2015 08:00 / atualizado em 12/03/2015 17:16

Juliana Contaifer

Brasileiro gosta mesmo é de receber os convidados na cozinha. Para quem tem espaço de sobra, a ilha é um ótimo investimento para aumentar a área de bancada, ter espaço para mais armários, ampliar a superfície de trabalho e levar a conversa para perto das panelas. "Além de ser prática, deixa a cozinha mais charmosa e torna-se um ponto de encontro. Para aqueles que apreciam cozinhar em casa, ela cumpre a função de deixar o chef interagir mais com os convidados", explica o arquiteto William Veras. "Ajuda a criar um ambiente mais aconchegante", afirma.


Por conta dessa vocação social, grande parte das ilhas acaba se transformando em bancadas. "É possível criar diferentes níveis para colocar os assentos. Bancos altos e cadeiras funcionam — alguns projetos colocam uma mesa no fim da ilha para que o cozinheiro possa manusear o alimento e conversar ao mesmo tempo", afirma a arquiteta Cynthia Rondelli. Não existem regras sobre o que pode ser instalado na ilha — alguns projetos preveem apenas uma pia, enquanto outros aproveitam o espaço para colocar o fogão.

 

Mas nem toda cozinha pode comportar uma ilha. É preciso espaço suficiente entre a bancada e a ilha para que um pessoa possa ficar de pé enquanto outra circula por trás. A ilha costuma ser feita do mesmo material usado no resto da cozinha — pode vir em madeira, granito ou inox, dependendo do conceito adotado, mas se usa cada vez mais a pedra de quartzo, que é sintética e, por isso, mais resistente a manchas. "Porcelanato também fica interessante, o acabamento fica ótimo", conta Cynthia.

 

Evivva Bertonini /Divulgação

O arquiteto José Ferro projetou a ilha como uma bancada — além de pia e fogão, tem uma pequena horta para facilitar o preparo das comidas.

 

Daniel Mira/Divulgação

O ambiente projetado por Cynthia Rondelli foi pensado para que o cozinheiro nunca esteja de costas para os convidados — a pia pode ser usada dos dois lados. A bancada em dois níveis permite que uma cadeira convencional ou uma banqueta média seja usada. No fim da ilha, uma mesa completa o ambiente.

 

Evivva Bertonini /Divulgação

A ilha do projeto do arquiteto José Ferro para a Evviva Bertolini abriga fogão e pia e é a única bancada livre da cozinha. Uma mesa conjugada para as refeições completa o ambiente.

 

Evivva Bertonini /Divulgação

A ilha projetada por William Veras, da VMF Arquitetura, tem um cooktop, área extra para preparo de refeições e uma extensão em vidro rebaixado que serve como mesa. Nesse projeto, a ilha ajuda a ocupar melhor o espaço da cozinha, que é muito grande.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.