CASA

Jardim à prova d'água

Saiba como escolher as plantas adequadas para reduzir o uso de recursos hídricos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/03/2015 08:00 / atualizado em 20/03/2015 17:45

Juliana Contaifer

 

Fernando Lopes/CB/D.A Press

 

Em tempos de crise hídrica, o jardim é uma das áreas da casa que mais sofrem. O racionamento ainda não chegou a Brasília, mas é bom prevenir — o planeta agradece! Para economizar água e manter a área verde e florida, é preciso tomar algumas providências. "A água é muito preciosa, temos que utilizá-la com cautela. Se o jardim ainda está sendo implantado, é possível pensar em um reservatório, uma estrutura que consiga reaproveitar e filtrar da chuva e da casa", conta a paisagista Marina Pimentel. Nessa etapa, é interessante pensar nas plantas do jardim — as espécies tropicais, típicas do Brasil, exigem mais líquido do que as europeias, como as coníferas. Um ambiente bem pensado mistura vários tipos de folhagens.

Para os jardins que já estão prontos, a paisagista explica que é possível diminuir a frequência de irrigação. Aqueles que recebem água todos os dias podem reduzir para três vezes por semana, enquanto as plantas molhadas duas vezes por semana podem passar para apenas uma. O importante é que as raízes estejam úmidas e a rega seja eficiente. Borrifar água nas folhas é inútil. O ideal é usar mesmo uma mangueira e diminuir a periodicidade. "Apesar de regas no início da manhã serem mais saudáveis para a planta, a água acaba evaporando ao longo do dia. Quando a intenção é economia, recomendo o fim da tarde", conta o arquiteto e paisagista Raul Chagas.

 

Leia a matéria completa na edição nº 514 da Revista

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.