Ronaldo Fraga é um show à parte no terceiro dia de desfile do SPFW

Na edição de verão 2016, o mineiro não decepcionou. O primeiro suspiro ecoou quando o holofote mostrou mulheres comuns vestidas de sereias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/04/2015 17:24 / atualizado em 15/04/2015 18:14

Flávia Duarte



Não é de se espantar o número de admiradores e de jornalistas de todo o mundo que se amontoam em frente à sala de desfile na SPFW para ver a coleção do mineiro Ronaldo Fraga. As apresentações do estilista são sempre assim: disputadas e surpreendentes. Ronaldo nunca é óbvio. Nunca escolhe o lugar comum. Antes de as luzes da passarela se acenderem, ninguém ousa imaginar qual a mais nova criatura do artista.

Na edição de verão 2016, o mineiro não decepcionou. O primeiro suspiro ecoou quando o holofote mostrou mulheres comuns vestidas de sereias. Eram mulheres de todas as idades, que exibiam cabelos bem penteados, maquiagem impecável e os seios de fora. Usavam apenas a cauda da personagem que representavam. A mais visível delas, bem à frente do pit de fotógrafos que disparavam flashes com uma velocidade de metralhadora, deveria ter, supostamente, mais de 70 anos. Os cabelos brancos e as rugas davam dicas de muitos anos vividos.

Os seios, aparentemente, firmes, foram discretamente cobertos com as mãos por essa modelo nada comum. Ela não estava tão à vontade quanto a sereia ao lado, provavelmente uns 40 anos mais jovem, que exibia a nudez com muito mais conforto. Ainda assim, nenhuma da princesas do mar de Ronaldo fez feio. Elas se mantiveram parte do cenário durante todo o desfile. Naturalmente belas.

Enquanto isso, modelos altas, jovens, esguias mostravam o trabalho do estilista, que desenhou a coleção Sereias da Penha. Outro suspiro vindo da plateia. Ronaldo valoriza detalhes, os tecidos. Não tem acabamento comum. Os tecidos de suas roupas são visto apenas nas peças assinadas por ele. São obras de arte para se vestir.

Do fundo do mar vieram os elementos para desenhar a roupa. O movimento das ondas era visto nos recortes de golas, acabamentos de saias e detalhes de babados. Estrelas do mar foram delicadamente bordadas em organza. Peças estruturadas lembravam cestas de pescadores. As franjas de vidrinhos azuis remetiam ao tom e ao balanço das água s. Um trabalho artesanal artístico que extrapola a simples definição de uma tendência pasteurizada para uma estação.

Como sempre, Ronaldo foi aplaudido de pé. E, ao final, nem Gisele foi tão fotografada pela plateia quanto as sereias dele.

A repórter viajou à convite do evento
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.