TRABALHO ESCRAVO

Moda consciente ou barata?

Vídeo propõe a conscientização dos consumidores sobre as condições precárias nas quais vivem muitos dos que fabricam as roupas mais baratas que usamos no dia a dia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/05/2015 15:48 / atualizado em 12/05/2015 11:29

Renata Rusky /Revista

Reprodução da internet
 

Uma máquina foi colocada em uma das principais praças de Berlim. Nela, era possível comprar camisetas por apenas dois euros. O preço era atrativo, mas a máquina também mostrava às custas de quem compramos peças de vestuário tão baratas. A medida que apareciam cenas das condições degradantes em que muita gente vive em confecções têxteis, o vídeo explica: “Conheça Manisha, uma das milhões que fazem nossas roupas baratas por treze centavos de dólar por hora todos os dias por 16 horas. Você ainda quer comprar esta camiseta por dois euros?”

 


O vídeo “Fashion for a bargain - that's what everyone wants”, Moda por uma barganha - Isso é o que todo mundo quer, é uma homenagem aos mais de mil trabalhadores que morreram há dois anos no desabamento de um edifício em Bangladesh. No edifício, havia quatro fábricas de roupas, que confeccionavam para grandes marcas como o Grupo Benetton, Primark, H&M. No dia anterior, já havia aparecido rachaduras que indicavam que o prédio estava com a estrutura comprometida, mas os trabalhadores da indústria têxtil voltaram no dia seguinte, pois os supervisores declararam que o prédio era seguro. O salário deles não passava de 40 dólares por mês. A data da tragédia, 24 de abril, ficou conhecida como o Dia da Revolução da Moda.

Você pode apoiar a campanha pelo link: http://fashionrevolution.org

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.