Capa

Dores e delícias do casamento

Vestido, bombons, bolo, flores, madrinhas, fotografias, lua de mel. Diante de uma lista tão extensa de preocupações, as noivas sofrem para controlar a ansiedade antes e depois da tão esperada festa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/07/2015 08:00 / atualizado em 24/07/2015 19:56

Renata Rusky /Revista

Preparar a cerimônia de casamento demanda, obviamente, tempo e dinheiro. Mas somente isso não basta. É necessário controle emocional para lidar com ansiedade e preocupações que envolvem toda a organização. O evento envolve uma mudança drástica na vida e, segundo a terapeuta e vice-presidente da Associação Brasileira de Qualidade de Vida, Sâmia Simurro, a expectativa do "felizes para sempre" associada à quantidade de providências a serem tomadas exige muito do casal e do relacionamento. "O casamento é todo um processo e a festa é apenas uma parte dele. Envolve famílias e culturas diferentes; então, é importante equilibrar as personalidades, os gostos e é uma forma de o casal se aproximar ainda mais", explica.
Zuleika de Souza/CB/D.A Press
A duas semanas do grande dia, a noiva Édelyn Cristina, 32 anos, tem, ao mesmo tempo, preocupações práticas e emocionais. Por um lado, a contratação de tantos prestadores de serviço e notícias sobre fornecedores que não honraram contratos %u2014 no ano passado, uma grande confeiteira faliu deixando na mão inúmeros casais e, recentemente, noivos tiveram problemas com cerimonialistas e decoradores %u2014 a deixam apreensiva. Por outro, ela quer desesperadamente que o casamento chegue logo, mas já se preocupa com a saudade que vai sentir de toda a preparação. Além disso, não se autoriza a chorar quando estiver entrando na igreja %u2014 somente depois. Édelyn, no entanto, tem certeza: "O meu sonho justifica todo o estresse". Para o cerimonialista César Serra, a ansiedade faz parte da emoção do casamento. Os sentimentos afloram para todo os envolvidos, mas uma noiva bem assessorada não precisa nem deve se preocupar. "Muitos colocam a pressão toda em cima da festa, mas ela dura cinco horas. Todo o processo de organização deve ser divertido e prazeroso", explica. Ele conta que, na prática, trabalha também como psicólogo. Os noivos desabafam e choram com ele. O casamento vai mudar a vida do casal, mas, para o noivo de Édelyn, as coisas estão bem mais tranquilas. As expectativas são menores. Ele ficaria satisfeito até mesmo com um churrasco de casamento. Ela curte cada detalhe da preparação e entende que os interesses do amado são diferentes. "Ele foi comigo escolher as flores. Eu adorei, mas ele ficou entediado", exemplifica. A ansiedade dela e a tranquilidade dele, segundo o psiquiatra Valentim Gentil, professor da USP e PhD em psiquiatria pela Universidade de Londres, têm razões tanto biológicas quanto sociais. Na mulher, a produção de hormônios oscila ao longo do mês, uma das causas da tensão pré-menstrual, o que a deixa mais vulnerável aos transtornos de ansiedade. Durante a TPM, por exemplo, o cérebro dela fica privado de duas substâncias calmantes e antidepressivas, o estrógeno e a progesterona. Além disso, segundo Gentil, para elas, é natural expressar os sentimentos. Desde pequenas, são treinadas a externar sensações normalmente. Já o homem aprende que demonstrar ansiedade é sinal de fraqueza.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.