PHOTO & GRAFIA

A casa das onças

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/08/2015 08:00 / atualizado em 21/08/2015 20:30

Marcelo Ferreira

Marcelo Ferreira/CB/D.A PRESS


A história do NEX (No Extinction) começou durante uma visita de Silvano e Cristina Gianni ao Zoológico de Brasília. Foi há 15 anos, quando conheceram Pacato, uma onça-suçuarana que era mantida em um pequeno espaço. Incomodado com a situação do animal, o casal resolveu fazer algo para melhorar a vida do felino. Então, surgiu a ideia de transformar a fazenda deles, em Goiás, numa instituição de proteção e abrigo de felinos silvestres. Foi a primeira do gênero a ser autorizada pelo Ibama.
Marcelo Ferreira/CB/D.A PRESS

O criadouro tem vários recintos devidamente equipados para abrigar e dar todo o conforto às 14 onças (entre pintadas e pretas), sete suçuaranas, três jaguatiricas e duas jaguarundis. A maioria desses animais chegou ainda filhote, porque suas mães morreram nas mãos dos caçadores ou vítimas de queimadas. Quase todos vieram do Norte do país, trazidos pelo Ibama. Entre eles, duas onças que estão em processo de reabilitação para que, futuramente, sejam transferidas para uma reserva ambiental e reinseridas na natureza.
Marcelo Ferreira/CB/D.A PRESS

O projeto recebe apoio de um frigorífico na alimentação e conta com uma equipe de voluntários: biólogos, veterinários e tratadores. "Abrigando alguns desses animais, iremos lutar para que sejam reintroduzidos na natureza, porque nós sabemos que é perfeitamente possível conviver com os animais, desde que haja respeito ao espaço deles", ressalta Cristina Gianni.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.